19 de mar. de 2010

Professores decidem manter a greve durante passeata em SP

Policial monitora o protesto de professores na avenida Paulista, em São Paulo

O sindicato dos professores da rede estadual paulista (Apeoesp), decidiu na assembleia dos professores, realizada nesta sexta-feira, dia 19, que a greve continua na próxima semana. Durante a passeata, professores e funcionários da rede estadual de educação de São Paulo ocuparam as duas faixas da direita da Avenida Paulista, no sentido Consolação, em direção à Secretaria da Educação. Segundo informações da Polícia Militar, cerca de 4 mil pessoas estiveram presentes.
Na semana passada, cerca de 12 mil docentes se reuniram no mesmo local e foram em passeata até a Praça da República, prejudicando o trânsito no centro. De acordo com um assesor da Apeoesp o que está sendo discutido é o movimento para a abertura das negociações.

De acordo com o Apeoesp, o movimento "busca reforçar a luta da categoria pelo atendimento das reivindicações na defesa da dignidade profissional". Os professores estão em greve desde o dia 8 de março. Segundo o governo, apenas 1% da categoria aderiu à paralisação. De acordo com o sindicato dos professores, mais de 60% dos docentes estão parados.

Entre as principais reivindicações estão o reajuste salarial de 34,3%; incorporação de todas as gratificações, extensiva aos aposentados; plano de carreira; garantia de emprego; fim de avaliações para temporários; e realização de concursos públicos para a efetivação dos docentes.
A rede de São Paulo conta com mais de 220 mil professores e 5 milhões de alunos. Segundo o Apeoesp, os professores que compõem o comando de greve estão visitando as escolas para conversar com pais, alunos e professores, explicando o porquê da paralisação.
Fonte: www.terra.com.br

Nenhum comentário: