14 de mar. de 2010

S.O.S. Parque Maracá - Movimento Cidadão

No escritório/ateliê de Roberto Burle Max no Rio de Janeiro, com Haruyoshi Ono, responsável pelo acervo técnico e assessor que esteve em Guaíra com Burle Max em 1984.

A polêmica está instalada. Durante o mandato tampão (2003/2004) eles destruiram o único pavilhão de exposições do parque permanente. Agora querem desfigurar o projeto de Burle Max para o parque, passando por cima do plano de revitalização e plano diretor aprovados em audiência pública em 2006. Fica lançado o movimento SOS Parque Maracá. Participe e faça valer sua opinião e vontade cidadã!

O anuncio de fechamento definitivo de parte do Parque Ecológico Maracá pela atual administração causa estranheza e merece toda atenção da população, imprensa, formadores de opinião e, principalmente, da Câmara de Vereadores e da APAMA – Associação Amigos do Parque Maracá. A polêmica está instalada e, para afastar qualquer conotação de disputa política, vale lembrar que tudo começou no final dos anos 60 e décadas seguintes (70 e 80), nos dois mandatos alternados dos ex-prefeitos Dr. Waldemar Chubaci (01/1964 a 01/1969; 02/1973 a 01/1977) e Dr. Aloísio Lélis Santana (02/1969 a 01/1973; 02/1977 a 01/1983), onde ocorreram a aquisição da área para implantação do parque, formação da lagoa e construção da praça do terminal rodoviário, da praça maracá, dos prédios da Prefeitura, Câmara Municipal, Casa de Cultura, Ginásio de Esportes e do Parque Permanente de Feiras e Exposições. No período seguinte, do ex-prefeito Dr. Fábio Talarico (02/1983 a 03/1987), foi quando Guaíra recebeu a visita do paisagista Roberto Burle Max (1984), concebendo o projeto de implantação do Parque Ecológico Maracá no entorno do lago. Nos governos seguintes, uns mais, outros menos, todas as administrações realizaram investimentos no parque (estou concluindo o levantamento), exceto no mandato tampão (03/2003 a 12/2004). Nesse curto período de 1 ano, 9 meses e 15 dias, pelo contrário, eles demoliram sem dó o único e amplo pavilhão para exposições existente no parque permanente. À época, não fosse uma denúncia do Getúlio (PT), toneladas de ferro seriam transferidas de mãos sem registro e sem receita para o erário municipal.

Em meu governo (2005 a 2008), dada a importância do parque como precioso bem urbano e a necessidade de sua proteção como tal, desenvolvemos ações importantes, dentre elas: 1)estudo geológico para caracterização do estado atual do assoreamento do reservatório do Parque Maracá (lagoa), cujo resultado foi apresentado em audiência pública; 2) Plano de requalificação e revitalização do Parque Ecológico Maracá – Diagnóstico funcional e ambiental, resgatando – após 22 anos – o projeto original de Burle Max e estabelecendo um plano diretor de uso e implantação. Coordenado por uma equipe de profissionais renomados, os resultados do trabalho também foram apresentados, discutidos e aprovados em duas audiências públicas realizadas em 1º de abril e 05 de maio de 2006, no auditório da Casa de Cultura.

Apresentamos o plano de requalificação ao Ministério do Turismo e viabilizamos dois convênios para o Parque Maracá, com destinação de recursos a fundo perdido no montante de R$ 800.000,00. Conseguimos executar a 1ª etapa, incorporando a praça do cinqüentenário ao parque, ampliando a sua orla e implantando o playground para as crianças na hoje praça professora Maria Izabel Lelis, conforme projetado por Burle Max. Quanto à 2ª etapa da obra e dos recursos, deixamos tudo pronto para a atual administração licitar e executar, com intervenção na quadra do parque permanente de feiras e exposições e na via que recorta o parque (rotatória do Hotel do Lago até o Bar Terraço). Para essa obra, deixamos em caixa cerca de R$ 677 mil, sendo R$ 497 do governo federal e R$ 180 de recursos próprios. Tudo conforme projetado por Burle Max.

Polêmica: Tudo indica que mudaram o projeto e a destinação dos recursos; o próprio anúncio do fechamento do parque indica isso, pois não consta no projeto original e nem mesmo no plano de revitalização e plano diretor do parque. Para evitar que tudo se perca, os verdadeiros amigos do Parque Maracá e a população guairense terão que se mobilizar e intervir. E logo.
Fica lançado o movimento SOS Parque Maracá. Participe e faça valer sua opinião e vontade cidadã!
Fonte: http://sergiodemello.wordpress.com

Um comentário:

José Pugliesi disse...

SOS Parque Maracá, SOS Canal de Captação de Águas Pluviais, SOS Asfalto, SOS Saúde, SOS Educação, SOS Povo Guairense!
Ou a população de nossa cidade acorda, e começa a enchergar tudo de errado que esta acontecendo, ou então todo nosso futuro estará comprometido.
Salve-se quem puder!