11 de mar. de 2011

Deputado da Vereadora Maurilia Landim é condenado

Conforme foi noticiado em diversos sites nessa semana, o Deputado Paulo Pereira da Silva do PDT-SP foi condenado por improbridade administrativa.
Como todos sabemos o deputado é ligado a PresidentA da Câmara Municipal de Guaíra, a Vereadora Maurilia Landim. De acordo com a histórica frase "Me diga com quem tu andas, que eu te direi quem tu és" devemos ficar de olho.


Imagem retirada do site da Câmara Municipal de Guaíra.

Procuradoria tentará cassar Paulinho na 2ª instância
O Ministério Público levará à segunda instância da Justiça Federal, em São Paulo, pedido de cassação do mandato do deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP).

Deve-se a iniciativa aos procuradores da República Célio Vieira da Silva e Svamer Adriano Cordeiro.

A dupla atua no processo que resultou na condenação de ‘Paulinho da Força’ e de outros nove réus por improbidade administrativa.

A sentença contra o deputado, que preside a Força Sindical, foi expedida pelo juiz federal João Batista Machado, da comarca de Ourinhos (SP).

Datada de 3 de março, véspera do Carnaval, a decisão do magistrado veio à luz nesta Quarta de Cinzas (9).

Por conta de malfeitos num projeto de assentamento coordenado pela Força Sindical e custeado pelo Tesouro, Paulinho foi sentenciado a pagar multa de R$ 1 milhão.

Pela decisão, a cifra será dividida com quatro dos réus mencionados no processo. A parte de Paulinho será de R$ 200 mil, corrigidos monetariamente.

Afora a multa, o deputado foi proibido de celebrar contratos com o Estado e de receber benefícios fiscais pelos próximos cinco anos.

O magistrado indeferiu, porém, o pedido dos procuradores para que Paulinho fosse condenado à perda da função pública de deputado federal.

O juiz entendeu que Paulinho atuou no malogrado projeto de assentamento como presidente de central sindical, não como deputado federal.

É contra esse pedaço da sentença que os procuradores Célio Vieira e Svamer Adriano decidiram recorrer à segunda instância da Justiça Federal.

A assessoria do deputado informa que também ele recorrerá contra as penalidades que lhe foram impostas pelo juiz federal de Ourinhos.

Além do processo por improbidade, Paulinho e os outros nove réus respondem a uma ação penal na qual são acusados de outros três crimes.

São eles: estelionato, falsidade ideológica e falsificação de documentos. No final de 2006, a ação teve de ser desmembrada.

Como deputado federal, Paulinho dispõe do privilégio de foro. O pedaço da ação penal que se refere a ele subiu ao STF, onde tramita até hoje.

Paulinho ainda não se manifestou sobre o caso. Mais cedo, informou-se que divulgaria uma nota. E nada.

O processo chega às manchetes às véspera da reunião de Dilma Rousseff com representantes das centrais sindicias.

O encontro ocorrerá nesta sexta (11). Entre os convidados está o condenado Paulinho.

Fonte: Blog do Josias - http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br



Nota: Essa postagem tem a função de informar nossos leitores e manter a transparência no que diz respeito aos políticos que são nossos empregados.

Nenhum comentário: