16 de mai. de 2011

‘Até mesmo para me defender dos ataques gratuitos e injustos’, diz Sérgio.

Sérgio de Mello afirma que este será o terceiro aniversário da cidade que a atual administração festejará inaugurando ou iniciando obras importantes, herdadas de sua gestão como prefeito.

Por Sérgio de Mello
Na edição do último dia 07, em matéria que ocupou toda a página 05, O Guaíra destacou: “Quadra da Vera Vitalli será reinaugurada com nova estrutura para os alunos”, ainda afirmando que “devido à má construção inicial da obra, a atual administração precisou gastar com aditamento, no contrato com a empresa, para o melhoramento e a segurança dos usuários. Entre as melhorias, reforçou o piso da quadra e recolocou as grades de segurança”. Acredito eu, a pauta foi sugerida e a matéria preparada pela própria assessoria de imprensa da prefeitura, imediatamente após a visita não programada que eu, a vereadora Cida Armani, Sebastião Vancim e a dona Janete Barini fizemos ao local, na tarde do dia 05, quando fomos muito bem recebidos pela direção da escola Vera Vitali. Porém, não encontramos o mesmo tom de cordialidade minutos antes, em visita ao balneário quando, para nossa surpresa, estava no local a nossa espera o diretor do Deágua, José Mauro Caputi Junior que, rispidamente, já nos cumprimentos partiu para o ataque verbal achincalhando a qualidade da reforma e ampliação que executamos em 2008, afirmando que teve que promover reparos na obra com recursos próprios, justificando assim a não abertura para a população até hoje. Felizmente, o assessor jurídico da prefeitura, Dr. Odejanir Pereira da Silva também estava presente, contribuindo para um clima mínimo de civilidade.Este será o terceiro aniversário da cidade que a atual administração festejará inaugurando ou iniciando obras importantes, herdadas da minha gestão como prefeito. Ressalto, este ano, o Centro de Educação Infantil Nilce Fugió (creche do bairro Joaquim Pereira Lelis), inaugurada recentemente; o projeto de revitalização do Parque Maracá (etapas 2 e 3), cujo investimento de R$ 800 mil são recursos deixados por nós (governos Lula e Sérgio Mello); e ainda, a reforma em andamento da ETA-Estação de Tratamento de Água, com projeto/recursos nosso e do FEHI-DRO. Desde que deixei a prefeitura em 31/12/2008, recolhi-me a vida privada e raramente tenho ocupado espaço na imprensa local para tratar de questões de natureza política, até mesmo para me defender dos ataques gratuitos e injustos que recebo com frequência de membros da atual administração municipal, seja via jornais, rádios ou do devotado líder do prefeito na Câmara. Praticamente só valia-me do meu blog http://www.sergiomello.com/ para manifestar-me, mas mesmo ele está desativado há cerca de três meses para reestruturação, mas voltará em breve e melhor ainda. Quero deixar claro que terminou a fase de “hibernação”, pois já tiveram muito tempo para mostrar serviço (desserviço também). Doravante, vou me posicionar sobre todas as questões de interesse público que me digam respeito, até mesmo como direito de resposta, se preciso. Na semana do aniversário do município, aproveito para deixar o meu abraço a todos os guairenses, conclamando as lideranças políticas e forças vivas da cidade com visão e compromisso progressista, a se unirem em torno da discussão de um projeto estratégico de gestão pública de longo prazo, que possa servir de base para a formação de uma forte frente de oposição, visando as eleições municipais de 2012, mas, principalmente, um futuro planejado e promissor para a nossa querida Guaíra, muito acima das vontades e vaidades individuais.SITUAÇÕES A ES-CLARECER:Quadra da escola Vera Vitali – deixamos a quadra poliesportiva coberta praticamente acabada, com piso de paviflex e grades de proteção, mas não recebemos a obra porque a empresa construtora não havia instalado os brises (estrutura de vedação entre as paredes e a cobertura). Cerca de R$ 100 mil ficaram em caixa para pagamento final do contrato. Já sob a supervisão e responsabilidade da atual administração, em janeiro de 2009 os brises foram instalados, porém foram derrubados dias depois por um forte vendaval. De forma mentirosa e sensacionalista, alardearam pela imprensa que toda a cobertura da quadra havia caído (e não somente os brises). Por falta de visão e politicagem, abandonaram a obra que, sem vigilância e manutenção, passou a ser freqüentada por vândalos e usuários de drogas, que danificaram o piso, grades e promoveram pixações – além da ação do sol e da chuva – com o mato tomando conta de todo o terreno adjacente. Resultado da brincadeira: restou perdido o moderno piso de paviflex (756 M2) instalado por R$ 23.498,75 (em 2008), que agora removeram e cimentaram, piorando as condições da quadra, além de gastar novamente com reparos e pinturas que poderiam ter sido evitados. Ainda na escola Vera Vitali, restou comprovada a farsa montada por eles de que a enorme estrutura metálica da cobertura do pátio estava cedendo e oferecia risco à vida das crianças. Na época, chegaram a interditar o espaço com fitas plásticas zebradas (preto e amarelo), colocando as crianças para fazer recreação e atividades físicas no sol forte, já que a quadra poliesportiva estava abandonada. Não bastou a análise dos projetos e explicações dos engenheiros/arquiteto responsáveis de que nada havia de errado. Nos dois casos, preferiram o teatro e a política miúda, tudo no intento de tentar desgastar a marca realizadora de nossa gestão, mesmo que a custa de sacrifícios impostos desnecessariamente àquela comunidade escolar e prejuízos aos cofres públicos. Balneário – igualmente, após quase dois anos e meio de abandono, parece que o obra finalmente será entregue à população, logicamente sem a placa de quem realmente reformou e ampliou o balneário, deixando a obra praticamente acabada no final de 2008. Também neste caso tivemos a responsabilidade de não receber a obra, deixando em caixa cerca de R$ 97 mil e um check list (relatório de pendências) do que precisava ser feito, dentre eles a instalação de 120 bicos de metais nos boxes de banho, pois o fabricante (DECA) estava em férias coletivas e só entregou as peças no início de 2009. Portanto, foi a atual administração quem recebeu a obra e finalizou o seu pagamento, sendo que só poderia fazê-lo se estivesse tudo em ordem. Como é que agora, decorrido todo esse tempo, eles vem dizer que tudo estava uma porcaria e tiveram que “reformar” a reforma, pasme, com recursos próprios, quebrando a garantia de cinco anos que a obra tinha para cobrança de eventuais falhas construtivas? Conversa para boi dormir, inventaram pequenas mudanças para justificar o atraso ou até mesmo por não saber como gerir e colocar o balneário a disposição da população.Alegando maior segurança – o que não procede – trocaram as portas de vidro temperado (blindex 10 mm verde) por acrílico, piorando o acabamento e qualidade nas salas de banho. Em 2008, quando executamos, a planilha de custos no quesito vidros (item 9) teve um gasto de R$ 11.770,79... além do desperdício e mau gosto, onde será foram parar esses blindex? A reforma do balneário também foi alvo de verificação por Comissão de Estudos criada pela atual Câmara de Vereadores, o que motivou a visita ao local de técnicos do Tribunal de Contas e nada de errado foi constatado. Em seu parecer, o TCE reconheceu a regularidade da obra – desde a licitação até pagamento final – atestando “as boas condições” do balneário. Para quem só vai entregar a obra, teria vergonha de mandar fazer e colocar uma placa daquele tamanho, voltada para a rua, mais parecendo um outdoor... qual terá sido o custo desta brincadeira com a inteligência dos guairenses?
Fonte: www.guairaemfoco.com

Nenhum comentário: