24 de jul de 2011

A FRAGILIDADE DA DEMOCRACIA - Por Ivana Maria.


Quem sou eu

Sou fruto de uma família maravilhosa; uma amante; mãe de três filhas adolescentes; professora, que aprende a vida com os próprios erros,tenta conservar os acertos e observa as outras pessoas e o mundo.Que Recolhe tudo, junta com o que lhe vem à cabeça e coloca em poesias, crônicas, "causos", piadas, desenhos e outras coisas que permitem expressar-me, mas, só terão validade se divididas com alguém. Fonte: http://mulhermaeprofessora.blogspot.com/

Eu nasci junto com a chamada “ditadura militar no Brasil”, no ano de 1964. Confesso que até 1985, fim da mesma, eu não tinha um entendimento concreto do que acontecia.

O nascimento da minha consciência política ocorreu junto com a conquista da democracia no nosso país.

São vinte e seis anos apenas de democracia, mas nos acostumamos com ela de tal forma que equivocadamente atribuímos um sentimento de eternidade e uma confiança inabalável de que nada pode atingi-la.

Aliás, nem questionamos sobre essa última hipótese, já que sequer passa pela nossa cabeça uma possível perda da liberdade alcançada com o regime democrático.

Mas a nossa experiência ensina que o perigo reside exatamente no berço da acomodação, quando os sinais de alertas estão desligados por serem considerados desnecessários.

Essa reflexão ressurgiu em mim devido a um fato ocorrido dentro do Sistema Municipal de Educação da minha cidade, Natal, RN, do qual faço parte como gestora de um centro infantil, denominado de CMEI.

Aconteceu que, na forma de uma total surpresa, ficamos sabendo sobre a exoneração de dez gestoras de CMEI’S, de uma só vez, nesse mês de junho. Os motivos para tais exonerações ainda não estão esclarecidos até hoje.

De pelo menos duas delas, com quem tínhamos mais afinidades, podemos questionar com mais propriedade tal resolução, pois testemunhamos nelas comportamentos que delatam sobre a boa competência enquanto gestora e o bom caráter pessoal de cada uma. Ficamos sabendo que os pais e toda a comunidade escolar das quais as mesmas faziam parte se mobilizaram para solicitar do Secretário de Educação a reparação desse ato e não foram atendidos.

Hoje trabalhamos sobre o plano da insegurança. O direito de ser escolhido pelo voto da comunidade não foi autorizado pela atual gestão municipal aos diretores de CMEI’S. Assim, qualquer palavra dita ou atitude que sejam avaliadas como afrontas aos ideais do governo podem corresponder à perda imediata do mandato.

Parece que ninguém pode interceder por isso. Pelo menos aqui, em Natal, para muitos, a liberdade de expressão está sendo reprimida.

Essa experiência serve para atentarmos sobre a fragilidade do nosso regime democrático.

A democracia foi conquistada, mas se não houver atitude para mantê-la, será tomada novamente de nós.

Guaíraemfoco:

Recentemente um servidor público estimado e competente de nossa cidade relatou os seguintes acontecimentos, que vale a pena ouvir e refletir juntamento com o texto acima.



Fonte: www.guairaemfoco.com

Nenhum comentário: