7 de mar de 2012

Collor ganha ação contra a Veja


Por Altamiro Borges, em seu blog

A Editora Abril, que publica a asquerosa revista Veja, terá de pagar R$ 500 mil de indenização por danos morais ao senador Fernando Collor (PTB-AL). A condenação foi aprovada pela Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) nesta terça-feira (6).

Em março de 2006, num artigo intitulado "O Estado Policial", a Veja chamou o ex-presidente de corrupto desvairado. O relator do caso, ministro Sidnei Benetti, considerou "ofensivo" o termo utilizado. "Não é pura crítica; é também injurioso", argumentou.

Assassinato de reputações

Numa primeira rodada no STJ, a indenização foi fixada em R$ 60 mil. Os ministros Sidnei Benetti e Paulo de Tarso Sanseverino se posicionaram no sentido de aumentar o valor para R$ 150 mil. Já os colegas Nancy Andrighi, Massami Uyeda e Villas Bôas Cueva votaram por fixar a indenização em R$ 500 mil.

A Editora Abril ainda pode recorrer. Sem entrar no mérito do caso, já que o ex-presidente não é uma figura defensável, a condenação da revista Veja pode servir de alerta aos jagunços da mídia. Não dá mais para a revista Veja promover impunemente o "assassinato de reputações", sem apresentar provas e ou por motivos meramente políticos e comerciais (mercenários).

O "caçador de marajás"

É bom lembrar que a revista Veja foi a primeira a lançar a candidatura de Fernando Collor para a presidência da República em 1989. O objetivo era evitar a vitória do operário Lula. Ficou famosa a sua capa com a manchete "O caçador de marajás". Na sequência, temendo pelo colapso do modelo neoliberal, ela passou a atacá-lo de todas as formas. Agora, Collor se vinga neste processo.

Nenhum comentário: