18 de mar de 2013

Festa do Peão é prejuízo na certa?


Por Adeir Alves.

A Festa do Peão em nosso município teve início da década 90, e, de lá pra cá, várias dificuldades foram enfrentadas pelos organizadores, para manter uma festa a rigor da elite, tudo certinho: Camarote, chapéu, bota, fivela e esbanja charmes.
Quando se aproxima o mês de maio de todo ano, é um corre, corre dos organizadores para deixar tudo pronto, tudo a caráter da elite, tudo tem que dar certo, os camarotes todos enfeitados, do chão ao teto, a arquibancada nem tanto!

 Convenhamos uma Festa tão cara com esta que é realizada todo ano, em nosso município, com a ajuda do poder público, o retorno para o município é mínimo somado aos gastos e a destruição do “Parque de Exposição Ademir Giovanini Augusto”. 

 No ano passado a Prefeitura custeou um Show no valor de R$ 180 Mil Reais, a título de esclarecimento: os munícipes tiveram que pagar a entrar da Festa, no dia. Estamos falando de uma festa particular que causa tamanha alegria à elite, como seu impulso intrínseco de grandeza, que toma forma pelo contraste fantástico e imaginário do patético marketing político e, quem paga por tudo, é sem dúvida o povo. 


As entidades de proteção aos animais são unânimes ao criticarem o rodeio devido os maus-tratos que eles submetem os animais, no entanto seria importante que à Câmara de Vereadores aprovem um Projeto de Lei proibindo o Rodeio na cidade, como muitas cidades já o fizeram? 

 Pensando no desenvolvimento da cidade: se está Festa tem tanta importante para a elite guairense, que eles mesmos se organizem e criem mecanismo para realizar esta Festa do Peão pra eles, com recursos próprios, sem a Prefeitura ter que bancar, shows, funcionários, energias, água e estruturas - que eles construa um lugar próprio, como a Festão do Peão da cidade de Barretos - SP. Justo! 

 Se o Prefeito Municipal tiver pulso firme e coragem e visão futurística, ele sem dúvida acabaria com esta Festa, e digo mais: o dinheiro que é repassado pra esta festa - via prefeitura - alegrar a elite, repassaria direto para entidades, sem intermédios de terceiros, e ainda, tem a questão dos investimentos em políticas pública na periferia da cidade, que são esquecido pra investir em uma Festa de cinco dias.

Nenhum comentário: