4 de mar de 2013

Os bastidores da política - parte I.

Por Adeir Alves
Quando resolvemos prosear sobre política e discutir o lado escuro que permeia situação conflitante entre financiadores de campanha e acordos políticos: muito cuidado com os jagunços apelidados de Charles Bronson que serve o sistema, ele ganha pouco, mas lambe ás botas de quem está no poder. Durante o processo eleitoral, o que vem acontecendo para muitos isso é normal, os empresários para se beneficiarem das administrações públicas; situações que oneram os cofres públicos, oferecerem certas ajuda financeira no período
eleitoral, que mais tarde será retribuída.
“O rabo preso”, expressão que é usada para dizer quando alguém deve algo á alguém, na política a situação de “rabo preso”, como vocês podem analisar sobre a cooperação financeira de empresários no processo eleitoral, são questões a serem discutidas acerca de que é justo e o que é injusto, como acabar com essa situação abominável que assola e fere a imagem da nossa política? Entretanto a “expressão rabo preso” que é incessantemente incorporada na política por esse Brasil a fora, durante o período eleitoral, mais tarde acaba por colocar os gestores em situações indesejadas durante seu governo, ai é tal de rebola daqui, rebola dali, compra ali, serviços só ali; no entanto, outras empresas pagadoras de impostos sofrem com esse sistema. Quando um administrador sede pressões, sua fraqueza é expostas. Ainda se não bastasse à pressão dos empresários financiadores de campanha, outra situação conflitante são os acordos entre partidos da base aliada, que por pressão e não por méritos, inserem pessoas com menos instrução, para não dizer a palavra iletrada, assumirem cargos públicos de grande responsabilidade, fato que poderá abrir uma porta pra corrupção. Como acabar com esse sistema envolvendo empresários financiadores de campanha no período eleitoral que depois se beneficiam do dinheiro público? Assuntos com este mencionado neste texto deveria ser pauta para se discutido no senado, acerca de incorporar a moralidade e o respeito ao dinheiro público. O resultado desse balaio de gato, sem querer ofender o pobre do animal é você cidadão lesado que não se interessa por política. Mas também é contribuinte, pagador de impostos. E que infelizmente, tem alguns que querem levar vantagem também. Por isso que não muda.

Nenhum comentário: