19 de mar de 2015

A desonestidade intelectual é repugnante e sinônimo de ignorância e mau-caratismo quando praticada por comunicadores e agentes políticos.

Por Sergio de Mello, nas redes sociais: 

 Bom dia. Em qualquer situação, a desonestidade intelectual é repugnante e sinônimo de ignorância e mau-caratismo, ainda mais quando praticada sistematicamente por comunicadores e agentes políticos. Cabe aos veículos de comunicação informar e esclarecer, mas alguns só se prestam ao desserviço de confundir e tumultuar, valendo-se sempre de mentiras. Por isso, faço questão de esclarecer:


 1) quem tem o poder de fixar ou reajustar os subsídios do Prefeito, Vice-prefeito, Vereadores e agentes políticos (Secretários de Governo) é o Poder Legislativo, através de Projeto de Resolução. Portanto, eu não encaminhei nenhum projeto de lei para a Câmara Municipal propondo aumento no valor do meu "salário", do Vice, Vereadores e Secretários; 
2) o que eu encaminhei para apreciação e votação foram dois projetos de lei beneficiando exclusivamente os servidores públicos municipais (todos: efetivos, temporários e comissionados), propondo o índice de reajuste de 7,71% nos salários e auxílio alimentação, como reposição das perdas salariais pela inflação do período (março/14 a fevereiro/15, IPCA de 7,7018%); 
3) com base nisso, a Mesa da Câmara formulou Projeto de Resolução fixando esse mesmo reajuste para os agentes políticos (Prefeito, Vice, Secretários e Vereadores), o que é perfeitamente legal e natural (sempre foi assim todos os anos e sempre aprovado). Porém, desta vez aconteceu diferente: na última sessão ordinária, os vereadores votaram contra o Projeto de Resolução da própria Câmara, o que é legítimo e eu respeito e acato; 
4) dentro da atual conjuntura econômica de queda de arrecadação e perda de receitas, muitas prefeituras da região e do país não estão sequer repondo a inflação, o que eu não concordo e jamais faria o que fizeram em 2004 oferecendo ZERO% de reajuste para os servidores guairenses (e nenhum jornal, rádio ou vereador achou ruim; o próprio Sindicato da categoria acatou calado e ainda apoiou o candidato do então prefeito nas eleições municipais daquele ano (peleguismo de marca maior). Em 2013 e 2014 reajustei os salários em 8,31% e 8,18%, ou seja, representando aumento real de 4,5% acima da inflação em dois anos. Além disso, pelo Plano de Carreira, a maior parte dos servidores guairenses recebem ANUALMENTE 2% de incremento nos salários, o que representa um crescimento vegetativo automático nos gastos com pessoal e um grande complicador para as finanças do município. Desta forma, em 2015, somando os 4,5% de aumento real que já concedi, mais os 6% do Plano de Carreira, a grande maioria dos servidores totalizarão mais de 10% de aumento real sobre os salários; 
5) fixado em R$ 360,00, hoje o auxilio alimentação pago em Guaíra é sem dúvida um dos maiores da região, Estado e até mesmo do País. Vide a Pesquisa Nacional do DIEESE sobre o Custo e Variação da Cesta Básica em 18 Capitais (fevereiro/15), onde só perdemos para São Paulo (R$378,86), sendo Florianópolis R$359,76; Rio de Janeiro R$ 357,27; Brasilia R$355,70; Vitória R$354,85; Porto Alegre R$353,81; decrescendo até chegar em Aracaju R$264,67. Detalhes importantes: a) com o reajuste de 7,71% que também estendi ao auxilio alimentação local, o valor da nossa cesta básica irá para R$387,75; b) atendendo reivindicação antiga dos servidores, institui a Cesta de Natal a partir de 2013 e 2014, pagando 50% de auxilio extra no mês de dezembro. Em 2015, 2016 e seguintes (se conseguirem manter a conquista) o valor será de 100%; 
6) acho que mereço um pouco mais de reconhecimento e respeito da categoria e do Sindicato (o Presidente e alguns diretores fazem oposição radical e irresponsável, o que é lamentável). Me ajudem a criar condições favoráveis para modernizar e melhorar a Gestão de Pessoal e as finanças municipais que, certamente, mais benefícios virão para os nossos servidores.

Nenhum comentário: