14 de mar de 2015

Os barões e baronesas da imprensa guairense, camuflados em discursos de defender o povo farão você odiar os mais pobres e amar o ilícito

Adeir Alves 

 Se você não for cuidadoso com sua própria consciência e opinião política, cuidado porque os barões e baronesas da imprensa guairense, camuflados em discursos de defender o povo, farão você odiar os mais pobres e amar o ilícito! A isso, devemos dizer BASTA!


A forma desequilibrada que, no ápice da deficiência cognitiva, faz com que a velha imprensa fabrique um jornalismo furibundo, cheio de ódio contra o governo municipal; sempre municiados pelos interesses gananciosos dos mortos intelectualizados pela sede do dinheiro, essa mesma imprensa quer transformar a opinião pública em opinião de interesse de seus meios de comunicação, utilizando de artimanhas onde a ética e o bom senso, passam longe! Mas graças a Deus em terra de gente feliz, o jornalismo é coisa séria! Porque o povo já cansou desses discursinhos de gente que se diz defender o povo, mas nunca foi falar com o povo! Não sabe o que é ser morador de periferia! E pior, precisam do dinheiro do seu, do meu e dos nossos impostos para sobreviver à custa alheias. Isso basta! 

 A essas famílias que há anos vêm sugando os sonhos dos guairenses de ter um cantinho para morar de forma digna, de ver uma cidade com várias obras como meio de deixar a cidade cada vez melhor para gente feliz morar, preferem se lixar para tais benéfios. Povo? Que se dane o povo! Queremos o nosso contrato com a prefeitura. É assim que o povo é visto por esses grandes senhores e senhoras da imprensa, o povo? 
Mas que povo?

 Infelizmente essa imprensa vem produzindo um jornalismo abstrato que, de modo geral, não tem comprometimento com a ética, e esse não comprometimento, tanto fez, tanto faz a base de suas pautas. As pessoas vivem me questionando como é possível eles fabricar um  jornalismo sem amor a sua própria cidade? Como são possível eles se vender fácil em nome do dinheiro público? Como eles conseguem dormir durante á noite sabendo que, em momento algum, eles estão pensando no povo? 

 Todos os dias, alguém vem e me questiona de onde vem tanto ódio contra o prefeito que fará história, por ter enfrentando os deuses das especulações imobiliárias? De ter falado NÃO aos barões e baronesas da finada imprensa mercenária? 

 Juro que fico muito triste com tudo isso! Por outro lado, me sinto como gente feliz por ouvir a opinião que os cidadãos e cidadãs guairenses sempre tiveram sobre essa raiva e ódio que a já sepultada imprensa mercenária tem em atacar o governo eleito pela grande maioria, eles estão vendendo até a alma para o diabo como forma de conseguir contratos com a prefeitura, assim é a visão por uma boa parte dos munícipes guairense. 

 Pois é minha gente, sabemos que não podemos eliminar os efeitos maléficos causados pela irresponsabilidade da já velada imprensa mercenária, mas podemos juntos diminuir os danos! Como? Buscando os fatos de como eles são de verdade (site da Prefeitura, Secretários,  Secretárias e Ouvidoria, etc), sem segundas intenções.

 Nos tempos de hoje, a verdadeira informação manipulada por jornalistas mercenários podem induzir as pessoas a um mau julgamento e criando comportamento impróprio á verdade dos fatos, com isso, a discórdia começa a se estabelecer. É necessário responsabilidade para com os fatos, e isso, para imprensa mercenária, não quer dizer nada. Isso é, se a prefeitura fizer um bom contrato com ela, as coisas ruins ficam boas. 

 Essa injusta guerra proclamada pela imprensa mercenária contra o 1º Prefeito que ousou dizer basta  a farra com o dinheiro público, é apenas o caminho para que a levará ao cemitério intelectual mais próximo possível, nesse caso, o vaso sanitário! 

 O prefeito deu o primeiro passo para frear os abusos por parte dessa imprensa mercenária, agora cabe o povo guairense dar o segundo passo, não abrindo mão de seus valores éticos e morais por causa da sede sedenta dessa imprensa por contratos com a prefeitura. 

 Infelizmente, já que a imprensa mercenária não valoriza a rica história de Guaíra, que foi construída nos valores dos alicerces da verdade e dos fatos. É necessário que o povo comece a se mobilizar em nome do respeito e dos princípios básicos para vivermos em sociedade digna. 

 É necessário que o povo comece a utilizar suas ferramentas democráticas como meio de participar contra esse horror causado pela imprensa mercenária, como as redes sócias, praças, parques, ruas dos bairros como forma de dizer basta a todo esse jogo sujo, manipulado e proporcionado por essa imprensa mercenária. É necessário que as pessoas entendam que elas são protagonistas sim, não apenas meros espectadores como a imprensa sempre os condicionaram. 

 Opiniões, idéias, sugestões e elogios pouco importa se você tem ou não, o que a imprensa quer, é mais um soldadinho na frente de batalha, carregando a bandeira da opinião manipulada contra um governo eleito de forma democrática. Não se deixe servir em nome de pessoas mercenárias! Lembre-se das histórias de seus avôs e de seus pais que trabalharam tanto para construir essa cidade de gente feliz. 

 Um povo que sabe de seus direitos constitucionais, sempre será um povo  que terá vez e voz diante as inverdades. Caso contrário, a imprensa mercenária vai sempre olhar para esse mesmo povo como meio de conquistar suas vaidades, como contratos com a prefeitura e por aí vai. 

 O povo brasileiro lutou tanto contra a ditadura militar para termos a liberdade como nossa principal virtude, mas, infelizmente, hoje em dia, o autoritarismo também chegou como estratégia de guerrilha ao jornalismo guairense que é conduzindo como meio de, bem ou mal, força o bendito contrato com a prefeitura. Tanto é verdade que os ataques ao gestor público (eleito pela grande massa popular) nos direciona ao pensamento crítico sobre o quanto a imprensa interfere nas decisões governamentais. Não podemos nos deixar ser adaptados e muito menos convertidos a um tipo de leitura voltada nos moldes financeiros, querendo manipular a população.

 É nesse sentido que aprofundo o diálogo: desafio a grande massa popular a pensar na sua história social como mediadora da verdade, revelando o verdadeiro sentido do porque do silêncio? 

 Enfim, despeço-me afirmando que, mesmo estando num estado de hibernação silenciosa, a família guairense tem presenciado um episódio sombrio no qual a imprensa tem relinchado nos quatros cantos da cidade, mentindo, difamando á gestão pública acerca de seus desejos financeiros, que foi retirado de seu orçamento familiar. Pense! Reflita! Lembre-se que você também opinião. Só não deixe o silencio falar por você!

Nenhum comentário: