29 de mai de 2015

Governo Municipal apresenta sinais de desgaste

Adeir Alves 

 Nosso município cotidianamente vem sendo vítima de um terrorismo orquestrado pela família-imprensa. 

Esse ódio exacerbado de alguns veículos de comunicação foi germinado após o sepultamento do corte dos robustos contratos entre prefeitura e a imprensa; tudo indica que corte teve cunho administrativo e necessário para que a máquina pública continuar gerindo o orçamento público sem lesar os contribuintes.
Sem um mecanismo que preconize o feedback entre as ações do governo e os contribuintes, sim, uma ferramenta que realmente possa genuinamente combater veemente as mentiras e as manipulações dos caninos órgãos de imprensa, é obvio que o governo é órfão nesta questão, por isso está acuado e cada vez mais deprimido, sem saber como agir diante das ações perversas da imprensa raivosa, que sinaliza para tirá-lo do poder.

 Ficou nítido o desespero do governo quando em um post nas redes sociais, ele apresentou um quadro de puro cansaço e desanimo, portanto ele demonstrou estar indignado pelas mentiras e boatos criados para desestabilizar seu governo, segundo o governo em seus dizeres: “Chega... paciência tem limites. A partir de amanhã, toda canalhice que chegar ao meu conhecimento terá interpelação judicial, doa a quem doer. Disputa política se faz com fatos e argumentos; não com boatos, mentiras e invencionices de mentes inescrupulosas e doentias. Quero apenas trabalhar em paz”, na verdade o gestor público, com as mãos atadas, deprimido, vem levando um baita coro da imprensa. 

Como nunca antes na história de nosso município a família Guairense havia presenciado um governo atordoado, fraco, sem saber como se erguer em meios aos ataques manipuladores de uma imprensa mequetrefe, que, entretanto, esqueceu há muito tempo qual é o seu papel em nossa sociedade. 
Infelizmente em nossa cidade existe uma imprensa que é um instrumento empresarial, descontrolado em defesa de seus interesses financeiros. 

O governo está sendo devorado pela canina imprensa e o único combustível restante para que o gestor conserte o estado de mistifório causado pela falta de ética dos veículos de imprensa, é pedir ajuda para á comunidade que o elegeu. Não serei justo um governo eleito pela grande maioria pobre ser vítima de um golpe orquestrada pelo conservadorismo das famílias que mantém o poder da informação manipulada. 

Será que instalarmos um governo imposto pelos desejos escusos da família-imprensa nossa cidade seria mais justa? Com todo esse clima de beligerância provocado pela ira da imprensa, o governo deverá transferir a responsabilidade ao povo em audiências públicas nos Bairros da cidade com a participação cidadã, eles o povo, irão decidir se haverá novamente os robustos contratos entre imprensa e prefeitura, como era antes.

Nenhum comentário: