17 de jun de 2015

NOSSA GUAÍRA, ELEIÇÕES DE 2012, GOVERNO MUNICIPAL, OPOSIÇÃO DITATÓRIAL, UMA IMPRENSA PARTIDÁRIA E QUE DEUS NOS AJUDEM

Adeir Alves 

 Não tem como não falar do triste cenário político municipal, sem refletir sob o formato tendencioso do jornalismo instalo em nosso município, por parte de uma imprensa que, segundo suas manifestações, dão sempre a entender ser uma imprensa partidária, ou seja: oposição ao governo e que se lasque a população guairense. 

 Parece um déjá vu, mas nos últimos dois anos e meio pra cá, a imprensa vem agindo como se fosse um partido de oposição ditatórial ao governo municipal. O que deveria ser uma ferramenta de grande utilidade para informar á nossa comunidade sobre os fatos do dia-a-dia, de uma cidade em transformação, infelizmente, transformou-se em instrumento dantesco que vem assustando e muito ás famílias guairense com notícias ala Estado Islâmico que, através de suas ações no Oriente Médio, agem com táticas terroristas que sequestram e decapitam as pessoas que não concordam com sua ideologia religiosa e fanática. 


 E por causa desse jornalismo de terrorismo barato que estatiza nossa cidade num marasmo que afaga certos grupos políticos, é que se faz necessário um pouco de informação correta, como por exemplo, após o atual governo ter dado um basta na farra, interrompendo seus contratos no inicio de 2013, a imprensa ergueu a bandeira da oposição, partiu e marchou sobre o solo sagrado de nossa querida Guaíra, passando por cima de tudo e de todos, municiada em ódio e rancor, deixando transparecer e escorrer de suas bocas, as babas em forma de cifrões. 

 Nessa lamentável luta sanguinária por interesse, a imprensa rasga as páginas da ética como manda o bom e verdadeiro jornalismo e a troco de quê? Pois é nobre leitor e leitora, a troco de que, você deseja saber? A verdade é que a imprensa se transformou numa espécie de máquina sanguinária: “do quanto pior melhor”. Ou como se diz por aqui: “um pau mandado”, pronta para bater e destruir o governo que não atendem aos seus desejos financeiros, como acontecia no governo passado. 

 Por ser uma cidade pequena e de gente humilde, a imprensa há décadas vêm se aproveitando dessa humildade para influenciar nas decisões políticas dos munícipes, através de um jornalismo mandado e manipulado por segundas intenções. Isso não é coisa de cidade grande não. Isso esta acontecendo em Guaíra, onde as pessoas humildes estão o tempo todo sendo bombardeadas por um exército vestido em roupas camufladas de jornalistas, municiados aos interesses mais sórdidos possíveis. E, como é do conhecimento de muitos leitores, são coordenados por certos grupos políticos que não conseguem largar o poder. Peço a essas pessoas que pensem mais na população! Pensem nos filhos dos seus filhos que estão crescendo sobre o solo sagrado de nossa cidade! 

 Democracia é democracia, exemplo como o de outubro de 2012, diante ás urnas eletrônicas, onde a população deu um cala boca no grupo político que retrocedia Guaíra há tempos improdutivos. Mas, infelizmente, não é isso que estamos lendo e ouvindo por aqui não. O interesse financeiro é tanto pela imprensa que esta atropelando á ética e os bons costumes familiares. 

 É lamentável ter que utilizar esse espaço para falar desse assunto que parece não sair de cena. Ou melhor, esse jornalismo mandado que não deixa á cidade se desenvolver através de uma simples harmonia social. 

Felizmente a família guairense é inteligente e na hora certa ela saberá avaliar essa guerra que a “família-imprensa” vem fabricando com esse jornalismo de horrores, tendencioso, manipulador e de interesses pessoais. Essa inteligência toda foi demonstrada pelas familiares guairense, em outubro de 2012, quando o cala boca foi dado aos sangues sugas do Paço Municipal. Os eleitores e eleitoras são inteligentes! Não é esse ou aquele jornaleco que vai dizer como as pessoas devem agir! As pessoas são muito mais inteligentes do que pensa esse sucateado jornalismo da “grande mandada família”. Acredito inteiramente nas pessoas! E ao falar com as famílias, elas dizem que não estão ouvindo ou lendo mais esse jornalismo de interesse. Fico muito feliz ao saber que as famílias estão tomando esse tipo de decisão exemplar, contrário aos anseios sórdidos dessa “família-jornalista”.

 Entristece-me e muito é saber que esse jornalismo barato e de gente gananciosa vem convocando a urubozada da gramática para lutar na sanguinária luta contra os bons costumes. Mas, volto afirmar que a população é inteligente sim. Democracia foi o que aconteceu em outubro de 2012: cala boca bando de sangue sugas!

Nenhum comentário: