21 de set de 2015

À beira da pouca vergonha, a imprensa guairense cava seu sepultamento

Adeir Alves 

 Como nunca antes em toda história política de nosso município presenciamos o quanto a imprensa tem participado da política municipal, como se fosse um partido de oposição, impondo um jornalismo de ataques, de afrontamento, cujo objetivo é induzir a opinião pública a tomar decisões acerca de seu descontentamento oriundo do corte dos robustos contratos entre prefeitura e família-imprensa.

À beira da pouca vergonha a imprensa cava seu sepultamento. Na verdade a imprensa sob a égide de um jornalismo sem ética vem transformando nossa cidade em um verdadeiro campo de guerra, ora informações manipuladas, ora informações mentirosas, ora informações tendenciosas, de fato, esse ora cá, ora lá, todavia tem desencadeado um clima ruim na política municipal. A família guairense não merece isso!


 Para a família guairense tem sido uma pouca vergonha o que a matilha desmamada da imprensa vem produzindo em nosso município, com esse jornalismo sem ética, mequetrefe e destemido que, como um câncer vem destruindo, aos poucos os valores que permeiam nossa sociedade. Não é o meu, e sim o seu silêncio que vem contribuindo para nutrir esse câncer.

 Como construir uma sociedade, justa, fraterna, igualitária e de valores e respeitos mútuos, se há, em nosso cotidiano, uma imprensa perversa que sobrepõe a todos esses valores. Por isso eu quis democraticamente envolver todos vocês leitores nesse texto, no qual humildemente tento promover intensa auto-reflexão sobre os mecanismos sistemáticos que conduzem os órgãos de imprensa apoderar-se de tamanhos poderes.

É, sobretudo do conhecimento de todos que ética e respeito pela nossa sociedade são valores que deveriam ser os pilares de sustentação dos órgãos de imprensa, mas não são, infelizmente!

 Na verdade enquanto você mantém seu silêncio, alguém perde com a irresponsabilidade da imprensa sem ética, evidentemente esse cenário sombrio orquestrado pelo descontentamento da família-imprensa, deságua em nossa comunidade que é ferozmente tolhida de acessos às ferramentas provenientes das ações do governo que, entretanto aduz o desenvolvimento de nossa sociedade.

Finalizo perguntado a todos vocês leitores dessa humilde coluna: o que nós cidadãos de bem, pagadores de impostos têm haver com ódio da família-imprensa pela gestão pública, mas sim, claro, podemos dar um basta em tudo isso, quem sabe tudo pode ser reparado, consertado, desfeito e, com isso, Guaíra voltar a ter paz novamente, como era antes, em outras gestões, basta você quebrar seu silêncio.

Nenhum comentário: