25 de jan de 2016

O crescimento é necessário, mas o outro lado continua esquecido!

Adeir Alves:

 Nos últimos anos houve uma grande acedência habitacional na região oeste de nosso município, impulsionado pelo meteórico negócio da especulação imobiliária (em Guaíra, os aluguéis ou os preços que pedem para vendas de casas são os maiores em nossa região). Entretanto, vários bairros foram erguidos, em pouco anos, predominando a ausência das ações governamentais, concebida pelo silêncio de nosso legislativo.


 Infelizmente, “nós” população pagamos um preço caro por não termos políticos altruístas que governem em prol ao próximo, que planejem uma cidade para daqui 30, 50 ou 100 anos, mas com as políticas públicas em primeiro lugar, não deixando com que os especuladores imobiliários desvencilhem seus interesses espúrio do outro lado de lá. 

 Com o crescimento desordenado da região oeste, os espaços educacionais, esportivos, lazer e cultural foram comprimido a promessas de campanhas de determinados grupos políticos, que na prática tem sido só sonhos alimentados em épocas de eleições. No entanto, sem a oferta das ferramentas necessárias, o fato é que não há como oferecer dignidade a esta comunidade pagadora de impostos. 

Por isso é de grande importância que a família guairense esteja antenada a esta importantíssima questão pertinente ao progresso de nossa cidade. A participação da sociedade civil organizada nas decisões do governo e também do legislativo é soberana e de direito, conforme o art. 5º de nossa lei maior, a nosso Constituição Federal.

Outro ponto importantíssimo que precisa de um olhar crítico por parte de nossos vereadores, é a questão da segurança pública municipal, sendo necessário um trabalho de excelência acolhendo todos aqueles aglomerados de bairros. E, isso também não é favor, é direito! 

 Guaíra precisa ser colocada nos trilhos, na rota do desenvolvimento e do progresso que, há décadas, por falta da participação dos munícipes está sendo tratada como casa de qualquer um. Qualquer um vem e promete mil maravilhas para se eleger. Feito isso, se a poupança, bem como o 3º setor não participar ativamente das decisões do município, tudo fica como está? 

Devemos sonhar com uma Guaíra que contemple nossos anseios sim. Mas para isso é começar a dar sinal de possibilidades, acendendo a necessidade da participação de uma sociedade como um todo juntos nas decisões do executivo e do legislativo.

 Reflita: Antes de cobrar o  governo federal, estadual, municipal e, principalmente, o nosso legislativo, é necessário a participação de toda sociedade (cidadãos, sociedade civil organizada, associações, religiosos e religião, etc) para que seja, em partes, cumprir o dever enquanto cidadão. Ao entender sua participação enquanto cidadão inserido em uma sociedade pagadora de impostos, então entenderás que têm o direito de cobrá-los.

Nenhum comentário: