16 de mar de 2016

Como o governo municipal poderá alavancar sua popularidade que está em baixa?

Adeir Alves:

 Desde que assumiu o Paço Municipal “Messias Cândido Faleiros” em 2013, o prefeito municipal vêm lutando contra uma furiosa rejeição popular que o segue sistematicamente.

 Vários fatores contribuíram para o distanciamento entre o povo e o governo; as inúmeras viagens em busca de recursos e os poucos resultados que ascendeu a ausência no comando da máquina pública, culminando na fecundação de uma força sombria sob o comando de uma espécie de Primeiro Ministro, que instalou um sistema vira-lata de acolhimento aos puros sangues e, ao mesmo tempo, freando quem não fosse aliado. 


 Com o gabinete sempre de portas fechadas, o descontentamento do povo contra a atual gestão pública foi multiplicando em meio às promessas de 1000 casas populares ainda não cumpridas. 

Os presidentes de partidos políticos e os presidentes de bairros foram vítimas do abandono político e, sem o devido atendimento no gabinete, gestou-se o sentimento de traição, contudo, os presidentes de partidos não opinavam nas decisões do executivo, que sempre foram tomadas sem o aval do grupo político. 

Com a aproximação das eleições municipais, o governo corre contra o tempo para tentar cair nas graças do povo, não será uma tarefa fácil. Mas, no entanto, um grande número de obras serão inauguradas ainda este ano, na véspera das eleições - certamente - o prefeito acredita veemente que esta estratégia irá alavancar sua popularidade. 

O governo ainda não deixou claro se ele irá defender mais um mandato, claro que depende do alavancamento de sua popularidade, se ele, o prefeito for candidato novamente precisará, mais do que tudo, do apoio do povo, quanto ao apoio dos presidentes de partidos juntamente com os presidentes de bairros, que compuseram sua coligação em 2012, é difícil prever.

 Pois o que não vemos hoje no governo municipal são seus secretários, coordenadores defenderem o mesmo, pelo contrário estão todos calados, assistindo as críticas, brigas no campo verbal acontecerem e nada fazem ao menos para melhorar, ou ao menos defender seus cargos, pois se o governo municipal perder em outubro, também perde junto.

 Dito isso, para receber apoio das devidas coligações na disputa das eleições deste ano, isso se o prefeito for candidato, ele terá que escrever uma nova história moldada pelos valores de confiança, nesse pouco tempo que resta seu mandato, bem como calçar as sandálias da humildade...

 "Os políticos não conhecem nem o ódio, nem o amor. São conduzidos pelo interesse e não pelo sentimento."

Nenhum comentário: