5 de out de 2016

Nem tudo será um mar de rosas, Zé Eduardo e Moreira estarão entre a cruz e a espada!

Adeir Alves: 

 Nos últimos anos, a prefeitura perdeu o poder de investimentos. Mas o que pode ter ocasionado tal feito: excessos de cargos comissionados, outros com cargos com salários de 7 Mil, isso foi transformando em uma bola de neve que vai cair nas mãos de alguém, para piorar: o outro lado da moeda, o orçamento municipal é reduzido mais de 51/% à folha de pagamento do funcionalismo público, aí tem 25/% destinado à educação municipal e 15/% para saúde pública, ainda tem os recursos para o esporte, lazer, cultura, assistência social, na verdade a prefeitura perdeu o poder de investimentos por conta do inchaço em sua folha de pagamento.


 Como aumentar arrecadação sem criar novos impostos, como sanar esse déficit no orçamento e como nutrir o poder de investimentos na cidade, se você tem a resposta, ajuda o Zé Eduardo e o Moreira a sair desse labirinto?

 A escassez de investimentos na cidade oriundos dos recursos públicos é, todavia, uma preocupação e uma dor de cabeça para o próximo Prefeito já em seu primeiro ano, 2017. Claro que senão houver ajuda do Governo do Estado de São Paulo, como Zé Eduardo e Moreira vão gerenciar uma prefeitura sem um eficaz poder de investimentos? Tem que ter uma carta não manga, ou haverá muita pressão popular e dos opositores?

 É preocupante essa situação do déficit no orçamento púbico, até porque, hoje, pelo o estado de abandono, temos uma prefeitura a esmo. Zé Eduardo e Renato Moreira venceram as eleições sem prometer nada pra ninguém, outra dor de cabeça, vão sofrer com as investidas de vereadores da coligação, base aliada, para encaixar seus encostos. 

Renato César Moreira que tem uma riquíssima história política e uma grande experiência no legislativo somado a uma grande popularidade com os mais pobres, terá que orientar Zé Eduardo a jogar duro quanto a uma possível estratégia para frear o fogo amigo.

 Como tudo não é um mar de rosas, Zé Eduardo  e Moreira serão posto entre a cruz e a espada pelos caninos órgãos de imprensa, “ou paga ou leva pau”, é uma situação sombria que o governo vai ter que enfrentar, também! 

 Sem dinheiro para investir na cidade, por conta da baixa no orçamento público, Zé Eduardo e Moreira passarão dias tristes na prefeitura pensando quantos abacaxis terão que descascar ao logo de quatros anos. Para terminar mais dois sofrimentos: como lidar com sede insaciável da imprensa e como acolher todos os membros da coligação, convenhamos que não lhe reste outra opção senão pedir ajuda ao povo.

Nenhum comentário: