28 de mar de 2017

Como Zé Carlos e a Dra. Bia Junqueira podem evitar um estado fatídico na atual gestão

Por Adeir Alves:

 O prefeito Zé Eduardo (PSDB) deve recuar de suas ações precipitadas e oferecer um governo de flexibilidade e consonância com a classe trabalhadora, os funcionários públicos. Governar Guaíra com mão de ferro, não vai trazer benefícios ao progresso da cidade e sim, um clima de beligerância entre governo municipal e servidores públicos, uma queda de braço desnecessária. Quanta deselegância por conta da vaidade política! 


 Com 5% de aumento no salário e um aporte de R$ 30,00 no auxílio alimentação, o chefe do executivo vai entrar para história do município acendendo um mal-estar entre servidores – lembrando que o ano passado foi oferecido 13% de aumento de salário à classe dos funcionários públicos.

 Governado com mão de ferro, Zé Eduardo mostra que não deve continuar na política no futuro, tudo indica que ele será destronado. Analisando a conjuntura política no atual momento conturbado que atravessa a administração pública, o futuro da coligação que compõe o grupo do prefeito pode estar em maus-lençóis, preste a naufragar – todavia peças políticas importantes para disputar as próximas eleições à prefeitura, como Zé Carlos Augusto (DEM) e a vereadora e presidenta da Câmara Municipal, Ana Beatriz Coscrato Junqueira (PSDB), a Dr. Bia, que são nomes ecoados nos quatros cantos da cidade, para uma possível disputa eleitoral... Sem sombra de dúvidas, um governo ferrenho imposto por Zé Eduardo, notoriamente germina-se um quadro de rejeição popular entre seus eleitores atingindo em cheio a popularidade de Zé Carlos e Dr. Bia Junqueira, isso seria péssimo para ambos! 

É por tudo isso que o chefe do executivo precisa recuar de suas ações precipitadas e pensar no grupo, até porque sem diálogo com a base aliada, ele não conseguirá apoio junto à Câmara Municipal, quanto à aprovação de seus projetos - contudo - não havendo flexibilidade por parte de Zé Eduardo, tudo sinaliza para um momento fatídico na gestão, um racha no grupo, isso é ruim para o desenvolvimento da cidade. 

 Antes cedo do que tarde, Zé Carlos que em seu governo cultivou uma grande popularidade com o funcionalismo público e também tem sido um pilar de sustentação nesta gestão precisa aconselhar o prefeito a recuar - entretanto uma coisa é certa - nem é preciso de bola de cristal para ver que, se Zé Carlos não intervier e deixar o círculo político pegar fogo, o futuro do grupo será incerto.

 No legislativo, Dr. Bia Junqueira, nos bastidores, sem causar alarme, para a continuidade do grupo e, concomitante, a preservação das imagens das forças políticas, deverá consolidar a união com a base aliada e, desta união, pressionar o prefeito para que ele recue e oferecer um governo flexível, sem ódio. Com isso, Zé Carlos e Dr. Bia Junqueira dá um tiro político certeiro na preservação de suas imagens políticas e, ainda de quebra, mantém o grupo unido nos três primeiros anos.

Nenhum comentário: