11 de abr de 2017

Como Zé Eduardo pode turbinar o poder de investimentos na máquina pública e entrar para a história do município

Foto: blog do Ernani Carreira

Por Adeir Alves:

 Nosso município passa por momentos complicados oriundos do déficit orçamentário, que tem implicado na deficiência no poder de investimentos na cidade e, toda essa conjuntura política conturbadora aflorada pela escassez de recursos públicos vêm gerando uma notável rejeição popular no governo municipal, uma espécie de barril de pólvora contra a base aliada de Zé Eduardo. Acuado sem saber onde encontrar uma luz no final do túnel, Zé Eduardo tenta desesperadamente tranquilizar seus eleitores com as promessas de que tudo vai se ajeitando nos próximos dias, enquanto isso os bairros e os setores públicos vivem à mercê da espera de um milagre – todavia é preciso haver uma mudança na gestão pública nutrida pelo aperfeiçoamento nas ações da classe política municipal.


 Uma proposta ética, moral e inovadora que pode salvar a popularidade do prefeito Zé Eduardo, explico logo abaixo! Na verdade a prefeitura precisa turbinar seu poder de investimentos e, com isso elevar a popularidade do gestor público sem precisar sacrificar o funcionalismo público e sepultar direitos dos mais pobres.

 A geniosa proposta: O prefeito reduziria seu próprio salário que hoje é a robusta quantia de R$ 25 Mil reais ao mês - quantia que somado ao ano é de R$ 300 Mil, no final de quatro anos esta quantia chega a R$ 1.200 Milhão. Reduzindo essa quantia salarial automaticamente haverá uma ascendência na captação de recursos públicos, suprindo as necessidades básica da máquina pública, de fato, quantos investimentos nossas entidades recebiam do poder público e, ainda sobraria para investir na saúde pública resolvendo a falta de remédios e valorizando a classe médica? Reduzindo seu salário, o Prefeito teria instrumentos ( recursos públicos) para investir na cidade, contudo ele acertaria em cheio e cairia nas garças do povo acabando de uma vez por toda com o quadro de rejeição popular que o a assombra, com certeza ele, o prefeito municipal entraria para a história do município como o único gestor que reduziu seu próprio salário por amor a cidade apresentando um novo jeito reformista de governar Guaíra, um prefeito que não vive da política e sim para política. 

 Aproveitando o gancho, o chefe do executivo convenceria seus secretariados a abraçar a causa, diminuindo seus devidos salários que são de R$ 7 Mil e alguns cargos chegando a quantia de R$ 8 Mil, uma economia que atenderia todas as necessidades dos setores públicos. Com esta proposta inovadora de diminuindo seu salário e de seus secretariados, a moral do prefeito subia feito um rojão.

 Pressupõe-se que atitude do prefeito seria tão nobre por amor a Guaíra, que até os vereadores abraçariam a causa e também reduziriam seus próprios salários que são de aproximadamente R$ 6 Mil Reais ao mês, com isso nossos parlamentares também entrariam para a história de nossa cidade, dando um exemplo de política inovadora e respeito ao erário público.

É tudo uma questão de bom senso e entender que Guaíra precisa nutrir seu orçamento e, para isso, a política inovadora é necessário nesse momento de déficit no orçamento público.

 Momento de reflexão: “Não viver da política e sim para a política".

Nenhum comentário: