16 de abr de 2017

Os vereadores e o povo caminhando juntos

Por Adeir Alves: 

 O prefeito Zé Eduardo vem tomando medidas ferrenhas desde que assumiu o Paço Municipal Messias Cândido Faleiros. É normal que as gestões públicas, cada gestão com ideias diferentes, tomem medidas coerentes para solucionar os problemas ocasionados por inúmeras questões derivados das ações da máquina pública, claro que tais medidas não podem dificultar a vida da comunidade pagadora de impostos. 

 Algumas mediadas impostas pelo governo de Zé Eduardo tem deixado a comunidade periférica assustada com as políticas adotadas na área da saúde pública, que interfere diretamente na vida dos mais pobres; situações desnecessárias que obrigam a locomoção dos moradores de uma bairro para outro, na buscas de seus direitos. 


Uma situação difícil de entender e que coloca a classe menos favorecida em total dificuldade no seu humilde dia a dia, são ações governamentais na área da saúde pública, que não colabora em nada e sim traz em seus métodos governamentais um contexto movido, a meu ver, por retrocessos. 

 Vamos analisar e entender as novas políticas adotadas pelo atual governo: Antes em cada Posto de Saúde (Unidade Básica de Saúde) nos Bairros havia uma Assistente Social (servidora pública) que atendia normalmente as crianças, idosos, enfim toda comunidade das referidas regiões que utilizavam diariamente esses serviços - entretanto a comunidade era contemplada com essa política no qual o atendimento era efetuada pela Assistente Social que resolvia o problema ali mesmo e na hora, com isso os usuários não tinham a necessidade de locomover a outro espaço público para ter acesso aos seus direitos. Já no governo de Zé Eduardo houve uma mudança no atendimento dos Postos de Saúde (isso sem perguntar se os usuários aprovam tais mudanças) e, com a mudança todos precisam ir até a avenida 9 com a rua 20, Centro, antiga Escola Ouro Branco, para realizar esse procedimento com as Assistentes Sociais, serviço que antes era feito nos Postos de Saúde e todos aprovavam. Uma situação que implica na dificuldade do cotidiano da comunidade usuária desses serviços públicos: idosos, mães que são obrigadas a caminhar quilômetros com seus filhos no colo, para ter acessos a uma política que antes não apresentava tantas dificuldades e, sobre isso, não ouve sequer uma nota da imprensa questionado o governo e ouvido a comunidade dos Bairros sobre essas políticas. 

 Outra política impetrada no governo de Zé Eduardo e que tem chamada a atenção dos morados das regiões periféricas, são a retirada dos medicamentos das Unidades Básicas de Saúde Pública e transferidos para a Farmacinha Municipal que está localizada na Avenida 31 com as ruas 26 e 28 no Bairro Paranoá, política que concentra todos os serviços públicos que antes era realizado no Postos de Saúde e que facilitava a vida dos moradores - mais uma política desnecessária que implica na dificuldade da comunidade, os usuários desse serviço tem que se dirigir até a farmacinha para conseguir seus remédios, sendo que antes essa política era realizada nos postinhos, em cada Bairro, é triste, também não ouve nenhuma nota da imprensa questionado o governo e ouvido a comunidade. 

Umas medidas ferrenhas que o governo vem tomando sem perguntar ao Povo sobre o que eles acham? Entretanto, não se pode impor uma política de retrocessos e esperar que os maiores prejudicados (o Povo) fiquem em silêncio e, antes que se forme uma situação incomoda na área da saúde pública, é justo que os vereadores juntamente com a base aliada do prefeito realizem urgente Audiências Públicas em cada bairro, para discutir juntos com os morados se eles aprovam tais medidas impostas pelo governo. 

 Sim os vereados podem atender o clamor da comunidade e propor medidas que possam frear as ações antipopulares do governo, oferecendo uma política que facilite a vida da comunidade e não uma política de dificuldades.

 Com estas Audiências Públicas nos Bairros, os vereadores aproximam-se de seus eleitores ouvindo seus descontentamentos sobre as ações do governo referente à Saúde Pública. 

E você, aprova a política do prefeito na área da Saúde Púbica mencionada nesse texto?

Nenhum comentário: