11 de dez. de 2018

Zé Eduardo e os vícios de sua gestão

Adeir Alves: 

 Nesses dois últimos anos Guaíra perdeu o poder de investimento. A cidade ainda não recebeu os investimentos necessários para alavancar seu progresso preconizando o crescimento econômico e social tão enfatizado pelo até então candidato há época e hoje prefeito de nossa cidade, José Eduardo Coscrato Lélis (PSDB), no período eleitoral de 2016. 

 A situação calamitosa da Praça da Vila Aparecida, o abandono da praça/quadra do bairro Abdala Elias (Mutirão IV), o abandono do canteiro da Avenida Alça Oeste, os inúmeros buracos espalhados pelos quatros canto da cidade, a saúde pública nunca esteve a contento, o abandono do Parque Maracá, a situação triste da limpeza e iluminação pública, empregabilidade, ampliação do cemitério, enchente no centro da cidade são, contudo, acentuados indicadores que mostra o tanto que Guaíra está enfraquecida em seu poder de investimentos.


Avenida Alça Oeste
“Os tributos arrecadados oriundos dos impostos pagos pelos contribuintes, transformá-los em políticas públicas voltadas ao bem-estar dos munícipes, isso é eficiência no gerenciamento dos princípios básicos de qualquer gestão pública”. 

 O governo pôde restaurar o poder de investimentos da máquina pública, assumindo a responsabilidade ética, moral e crítica sobre os robustos gastos com os salários dos cargos comissionados (alguns recebendo R$ 8 Mil Reais), que impacto estes valores causam à folha de pagamento do Paço Municipal “Messias Cândido Faleiros”. Por que tanta gente enclausurada no setor de comunicação não oferecendo eficiência em suas atribuições, que importância tem os assessores dos assessores, um assessor de gabinete esquentado cadeira sem necessidade, quantas economias Zé Eduardo proporcionaria aos cofres públicos cortando na sua própria carne, enfrentado sua raivosa coligação, acabando com a farra? 

 Reduzindo o número de comissionados e, concomitante, sepultar as gratificações a estes, obviamente que a prefeitura estanca o sangramento na folha de pagamento da máquina administrativa e, sob a égide desta política econômica, o administrador público turbinando o poder de investimentos na cidade - sobrando recursos para investir nos bairros, no recapeamento, na saúde, na educação, no funcionalismo público aumentando a cesta básica, reconhecendo os esforços dos servidores que trabalham de sol a sol e enfrentam os problemas diários e, ainda de quebra, haveria recursos para garantia à implantação de abrigos, nas praças públicas, nos pontos de transporte escolar, para abrigar às crianças que frequentam a rede de ensino municipal, Zé Eduardo já foi criança um dia e saberá entender o perverso sofrimento que é ficar à mercê da intempérie? 

 Não é novidade para os munícipes que o prefeito Zé Eduardo vem governando, desde que assumiu o comando da prefeitura, com baixa popularidade sobre o manto de uma população descontente ávida por um governo de coragem e reformista. 

Com um orçamento reduzindo e sem perspectiva de um plano-político voltado para alavancar sua gestão, a popularidade de Zé Eduardo sinaliza para despencar no termômetro político, direcionando Guaíra para um futuro incerto. 

 Cortar na própria carne, é a agenda que prefeito precisa impor ao seu governo, oferecendo ao Povo o que é do Povo, uma cidade bem cuidada! 

 O prefeito Zé Eduardo não pode ficar ciscando em cima do PMAT (empréstimo junto ao Banco do Brasil), acreditando que esta alternativa vai salvá-lo, isso é um erro, a prefeitura terá que pagar este financiamento no R$ 3.940.778,00, ao longo de quatro anos, deixando dois anos de dívida para o próximo prefeito; no futuro o município poderá sofrer as consequências em sua economia. 

 Entretanto, o descontentamento da Câmara de Vereadores é um chamado de que o Executivo Municipal precisa dar uma resposta à família guairense. 

 Na verdade foram dois anos de gestão e Zé Eduardo ainda não fomentou uma política governamental que equacione a questão dos investimentos nos bairros e os avanços na empregabilidade. 

 Para cidade crescer tem que ter empregos e para ter empregos têm que ter empresas, para ter empresas tem que haver gestão! 

 “Quem sabe faz hora, não espera acontecer” Geraldo Vandré

Nenhum comentário: