8 de abr de 2019

Os fatores que emergiram a atuação política de Zé Carlos nas redes sociais

Adeir Alves: 

 Desde que José Carlos Augusto (DEM) assumiu o cargo responsável pela Secretaria de Obras do município, ele tem trabalhado no anonimato, em silêncio e, isso, portanto, não é novidade para seus aliados! 

 É natural que sem visibilidade política por parte dos órgãos competentes, o atual Secretário de Obras ficou esquecido nesses dois anos e quatro meses à frente de sua pasta. E, toda aquela força popular que ele havia conquistado em 2016 e que o apontava, nas últimas eleições, para a liderança nas pesquisa de intenção de votos a prefeito há época, foi, na verdade, enfraquecida em face ao desgaste popular do atual Governo. 


O processo eleitoral de 2016: Há época, sem apoio político, Zé Carlos ficou isolado, acuado, ou apoiava o raivoso juntado de Zé Eduardo ou estava fora, sem meias palavras, com o crescimento da esquerda, o acolhimento de seu grupo junto à Coligação, até então, em uma possível vitória e, concomitantemente garantir algumas pastas, foi, entretanto, uma geniosa ideia porque Zé Carlos sabia que sua hora, mais cedo ou mais tarde chegaria e  confrontá-los não faria parte de seu jogo político. 

Com exímio conhecimento em Gestão Pública por ter atuado no Legislativo, Executivo e experiência política no comando do Escritório Regional da Casa Civil do Governo do Estado de São Paulo, Zé Carlos têm sido uma peça fundamental nas engrenagens que compõe a máquina pública, tanto é que sua sala de trabalho é  próxima ao gabinete do prefeito, ou seja, um Super Secretário atuando e resolvendo tudo no anonimato! 

 Não é preciso ser um intelectual em política, para ver que nesses dois últimos anos, o ex-prefeito optou por manter sua visibilidade política apagada a enfrentar à fúria do fogo amigo - uma possível saída do grupo significaria desempregar seus aliados e, isso, contudo, seria péssimo para os planos futuros do postulante ao cargo a prefeito em 2020. 

 A visibilidade de Zé Carlos: Nas últimas semanas, o líder do DEM no governo chamou a atenção de todos ao usar as redes sociais para divulgar seu trabalho e turbinar seu nome junto ao Povo, foi um susto nos seus algozes. Também não faltou elogios a Zé Carlos, na última Sessão Ordinária, entre os Vereadores da bancada de situação, ou seja, os ventos políticos sopram na direção do ex-prefeito. 

 Os quatros fatores predominantes que emergiram a atuação política de Zé Carlos nas redes sociais: A pressão popular direcionada aos Parlamentares da base; a cobrança do grupo Carlista pela sua candidatura no próximo pleito; a decadente popularidade de Zé Eduardo e o crescimento político da Vereadora Bia Junqueira (PSDB). 

 Há, no entanto, uma possibilidade de evitar um fiasco nas urnas nas próximas eleições, e Zé Carlos sabe que ele pode evitar esta tragédia, que entraria para história política do município. 

Lançar a candidatura de Zé Carlos a prefeito no próximo pleito é, contudo, jogar um balde de água fria no sucessor de Zé Eduardo, portanto, é uma quebra de braço que o líder do DEM vence com folga, mesmo tendo as Secretarias como Educação, Saúde, que abocanham metade do orçamento público, em uma possível pesquisa, Zé Carlos venceria tranquilo.

 Usando as redes sociais como pilar de sustentação política e articulando nos bastidores sob o manto da base aliada, Zé Carlos têm aplicado a arte de fazer política com sabedoria e, sob essa estratégia, ele anula os cabeça-de-vento pró-sucessor a Zé Eduardo.

 “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer” Geraldo Vandré “

A arte de fazer política é falar o que o povo quer ouvir, mas fazer tudo aquilo que o povo não deve saber.” Sérgio o Cancioneiro

Nenhum comentário: