30 de dez. de 2020

O desserviço dos órgãos de imprensa

Adeir Alves:

“A imprensa ostenta robustos contratos com o Poder Público, nega informações à comunidade, entoando a bandeira da promiscuidade e da  omissão. 
Assim, sem o nosso consentimento, a matilha indômita dos veículos de imprensa, molda uma sociedade complacente com o crime. 

 Há muito tempo eu venho orientando e anunciando que ser omisso é crime. "E este blogueiro e educador continua com a profícua missão de não ser criminoso”. 

 Após serem diplomados virtualmente no último dia 18 deste mês, os nobres vereadores eleitos e o prefeito e vice-prefeito reeleitos seguem para o cumprimento de novas formalidades. No dia 1º (primeiro) de Janeiro, de 2021, às 10h00, nas dependências da Câmara Municipal, tomarão posse de sua funções públicas, conforme o Artigo 15 e 61 da Lei Orgânica Municipal (LOM), ambos ressaltam a obrigatoriedade da posse. Observe-se que José Eduardo Coscrato Lelis (PSDB) e Renato Moreira (CIDADANIA) tomam posse, mas, até o momento ( agora, ás 16h40), não deverão assumir a Prefeitura por força do afastamento determinado pela Justiça.  No entanto em toda a história política de Guaíra, desde sua emancipação, fatos como esses nunca havia, até então, acontecido. 

O governo reeleito “assumir ou não assumir,” é uma triste insegurança que a população guairense sente por falta de informação, infelizmente. 

Na verdade, com o silêncio da imprensa, a família Guairense está fragilizada com as incertezas de quem será o Prefeito no próximo ano. Os munícipes não sabem o que está acontecendo e o que vai acontecer à frente do cenário político: Será que o prefeito afastado assume suas funções administrativas junto ao Paço Municipal Messias Cândido Faleiros ou será o próximo Presidente da Câmara Municipal que assumirá? Convenhamos que são tantas perguntas sem respostas! 

Ainda que algumas respostas dependem de resultados de recursos junto à Justiça impetrado pelo Jurídico do Prefeito afastado (portanto, é do interesse dele); entretanto, o Jornal da cidade de Barretos conseguiu na última terça feira (29/12) ressaltar o triste campo da incerteza apontando as possibilidades.

 Por que a imprensa Guairense não consegue fazer o mesmo e apenas noticiar os fatos ocorridos, para, contudo, deixar a população antenada do que vem acontecendo no contexto político de nosso município. 

 E, sobre a perversa manipulação dos veículos de imprensa, as redes sociais (blogs, páginas no Facebook, entre outros) têm realizado uma espécie de contraponto ao desserviço gratuito das famílias donas (os) dos Jornalões e Rádios. 

Na contramão dos interesses financeiros, as mídias digitais vêm trazendo junto aos seus leitores as informações necessárias e de interesse público.

Nenhum comentário: