10 de mar. de 2021

O cenário político e o aprendizado da “Operação Golpe Baixo”!

Adeir Alves: 

A investigação realizada pelo colendo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) pertencente à comarca da cidade de Franca-sp, que culminou com a prisão cautelar de políticos e servidores públicos em nosso município, no dia 09 de dezembro de 2020, arranhou a imagem política-administrativa da cidade, como nunca antes na história desde a sua emancipação!

 “A Corrupção afeta a qualidade da educação e da assistência aos estudantes, pois os desvios subtraem recursos da merenda e do material escolar, desmotivam os professores, prejudicam o desenvolvimento intelectual e cultural das crianças e as condenam à uma vida com menos perspectiva de futuro – O Combate à Corrupção nas Prefeituras do Brasil, 3ª edição”. 

 Essa operação envolvendo o desdobramento de uma suposta corrupção (desvio de verbas) na Prefeitura da Cidade, é de extrema importância ressaltá-la sempre - para que - no entanto - não seja acobertada pelo manto putrefato que aquece a matilha indômita da imprensa vendida e caia no esquecimento da impunidade. 

 Sobre a conclusão do mérito das investigações, havendo culpados, que estes sintam o peso da mão dos órgãos competentes; quanto ao dinheiro público extraído desta prática pusilânime, é claro, volte aos cofres da Máquina Administrativa! 

 Contudo, o aprendizado que nossos políticos  absorveram com as investigações dos Promotores (GAECO), é que ninguém está acima da Lei e que suas atribuições diárias precisam estar, acima de qualquer interesse próprio, pautadas na Lei Orgânica e no Regimento Interno da Casa Legislativa. 

À luz da razão: O trabalho do egrégio Judiciário no combate às práticas ilícitas é, portanto, relevante para a mudança de comportamentos éticos e morais provenientes à classe política. 

Na verdade em um cenário inóspito nutrido pela corrupção dificilmente avança qualquer projeto-político para beneficiar à sociedade, pois, os desvios de recursos públicos direciona o município ao retrocesso dificultando a vida de quem depende dos serviços públicos.

Nenhum comentário: