17 de mar. de 2010

Quando não plantamos colhemos o toque de recolher

Por Evaldo Gabriel
Tudo começa quando não plantamos políticas sérias de atendimento aos jovens aí precisamos implantar o toque de recolher, basta fazer uma volta pelas ruas de nossa cidade no período noturno que nos deparamos com vários adolescentes em esquinas ficando vulnerável às drogas e álcool isso ocorre devido a sua inexperiência, fantasia, ingenuidade e coragem sendo recrutados ao mundo do crime, a proteção da família muitas das vezes é insuficiente mesmo quando o adolescente vive em um ambiente saudável, pois existe sempre a possibilidade de outras influências, sobretudo quando o adolescente começa ter a vida independente. Mas devemos lembrar que a sociedade merece um mecanismo que possa ajudar a impor regras com a responsabilidade respeitando o Estatuto da Criança e do Adolescente e garantindo os direitos. Em contra partida precisamos que a Segurança Pública funcione e resolva colocar um efetivo maior na rua. Diante desses problemas há muitas razões devemos lembrar que o Estado deve fazer sua parte implantando Política Pública aos jovens, fazendo sua parte primeiro investindo em segurança criando alvará específico para permaneça de crianças e adolescentes em clubes, bares e outros, mas garantindo o direito à locomoção no que se refere o Artigo 16 do Estatuto da Criança e do Adolescente. Por tudo isso, a adoção de medidas especiais de proteção aos jovens no período que a impressa vem identificando, com evidente impropriedade, como o toque de recolher, tem claro fundamento na Constituição Federal e na Lei e, sem nenhuma dúvida, é uma contribuição valiosa para que os jovens não sejam utilizados para práticas de violências contra eles próprios e contra todos, mas com o poder público fazendo sua parte colocando política de atendimento à criança e o adolescente em prática não utilizando o toque de recolher para esconder o que não foi feito. A Segurança Pública feita com a contribuição da comunidade participando efetivamente e tendo a segurança de seus filhos. Há de se cuidar do broto para vida nos dê flor e frutos.

EVALDO GABRIEL

E-mail: evaldogabriel@bol.com.br

5 comentários:

José Pugliesi disse...

Esta mais do que na hora do Conselho Tutelar começar a praticar "Ação".
Jogar a responsabilidade de tudo que acontece no "poder público" é fácil.
Se cada um fizer a sua parte, os problemas vão diminuir.

Abaixo o que diz no ECA:

Das Atribuições do Conselho:

***Assessorar o Poder Executivo local na elaboração da proposta orçamentária para a execução de planos e programas de atendimento dos direitos da criança e do adolescente - Art. 136, Inciso IX.

***Promover a execução de suas decisões, podendo, para tanto, requisitar serviços públicos nas áreas de saúde, educação, serviço social, previdência, trabalho e segurança – Art. 136, Inciso III, a.

www.guairacontecendo.com disse...

SE VOCE PRESTAR ATENÇAO NO ARTIGO PODE VERIFICAR QUE ESTOU ASSESSORANDO MONSTRNADO O QUE FAZER SERA QUE IREMOS IMPLANTAR O TOQUE DE RECOLHER HOJE E NA FESTA DO PEAO VAMOS LIBERAR SE VOCE CONSIGUIR QUE O PREFEITO ME OUVI TENHO MUITO A CONTRIBUIR

www.guairacontecendo.com disse...

O prefeito ta tao preocupado que nem o decimo terceiro do conselho tutelar nao pagou e o que a lei fala em motorista secretario e outros nao existe quer investimento maior do que investir no pessoal que trabalha no orgao de proteçao

www.guairacontecendo.com disse...

senhor jose pugliese sera que as familias que tem jovens com depedencia quimica o pais vai conseguir segurar em casa sera que o senhor tem a soluçao o brasil precisa

Unknown disse...

é engraçado como as pessoas que tentam melhorar a cidade são criticadas, porém os críticos no caso o sr josé pugliese nao tem ao menos uma conduta proba já que todos sabem que seu objetivo na politica não é buscar o bem estar do cidadão e sim enriquecimento e uma vida comoda.
Sera que se o Sr José Pugliese for eleito não usara do erario público para buscar a vida comoda que tanto busca?