7 de jun de 2011

Onde está a concha acústica do parque Maracá?

Os moradores de Guaíra que estão atentos aos acontecimentos da cidade estão se perguntando onde está a concha acústica que a cidade possuía no parque Maracá. Um espaço que antigamente era usado para eventos (FAIG), shows, gincanas e até teatros, foi aterrado dias antes da festa do peão de 2011. Mas porque houve esta ação da prefeitura?

Nossa redação recebeu questionamento de diversas partes da cidade e procurou a assessoria da prefeitura para obter respostas sobre este assunto.

O direito de resposta da prefeitura enviado por e-mail através da assessoria da prefeitura foi: “De acordo com o coordenador do Departamento de Obras, Fernando Rocha, a Concha Acústica do parque de exposições Ademir Jovanini Augusto era usada como palco dos shows da antiga FAIG. A administração passada aterrou uma parte, a prefeitura em 2011 deu seqüência concluindo o aterro. A estrutura de alvenaria existente no local será reformada e adequada para utilização da prefeitura.”

O ex-prefeito de Guaíra, Sérgio de Mello, foi procurado para dar respostas sobre a afirmação da assessoria sobre sua ação em cima do teatro de arena na época de sua administração. “O atual governo precisa ter coragem e personalidade para assumir seus atos. O aterramento do Teatro de Arena para fazer curral é um absurdo, assim como o pretendido fechamento do Parque Permanente de Feiras e Exposições “Dr. Ademir Jovanini Augusto”, transformando o local em recinto permanente para a Festa do Peão. A área em questão é parte integrante do Projeto do Parque Ecológico Maracá idealizado por Roberto Burle Marx em 1984, que a atual administração faz questão de descaracterizar. Em 2004, durante o mandato tampão, eles tiveram a coragem de demolir o belíssimo pavilhão de exposições, estrutura de concreto armado muito útil nos bons tempos da FAIG. Jamais passou pela minha cabeça aterrar o Teatro de Arena, pelo contrário, em minha gestão ele foi totalmente reformado e voltou a ser utilizado - depois de muitos anos de abandono - para eventos culturais e espaço de formação musical. Deixei cerca de R$ 800 mil para serem investidos no local, mediante convênio assinado por mim junto ao Ministério do Turismo, para implantação da segunda etapa do projeto Burle Marx no Parque Maracá. Os projetos estavam prontos e era só licitar e executar as obras. Lamentavelmente, preferiram alterar o projeto que deixamos, dando outra destinação para os recursos, embora no próprio parque. Espero que, pelo menos, eles estejam seguindo o projeto original de Burle Marx. A Festa do Peão não cabe mais no Parque Maracá e para que ela cresça e melhore ainda mais, se faz necessário a construção de um Centro Municipal de Eventos, afastado da área urbana, como aconteceu em Barretos. Pena que esse pessoal é cabeça dura e não tem a humildade de reconhecer que é preciso pensar a cidade a longo prazo.” afirma Sérgio de Mello.
A população só espera ter mais espaço para lazer, não retirar o que já possuíam.
Fonte: Jornal O Guaíra - 07/06/2011 - Página 5

Nenhum comentário: