27 de mar de 2012

Tucanos censuram TV pública de Goiás


Por Altamiro Borges, em seu blog

Aliados dos barões da mídia, os tucanos adoram posar de defensores da “liberdade de expressão”, que confundem com a liberdade dos monopólios. Mas no seu ninho, eles gostam mesmo é de praticar a censura, cooptar a imprensa via publicidade e pressionar os patrões pela demissão dos jornalistas mais críticos. Goiás é a mais recente prova da distância entre o discurso e prática.
Na sexta-feira passada (23), a TV Brasil Central (TBC), emissora pública controlada pelo PSDB, anunciou o afastamento de Michele Bouson e Marcelo Adriani, os dois apresentadores do Jornal Brasil Central (JBC) 1ª Edição. Eles foram punidos por questionarem a situação caótica da educação em Goiás, fazendo perguntas mais duras à ex-secretária e ex-deputada Raquel Teixeira.

As ordens e a “desobediência”

A entrevista, ao vivo, ocorreu na quinta-feira. Prova da censura prévia que impera na emissora, a diretora de Telerradiodifusão da Agência Goiana de Comunicação (Agecom), Abadia Lima, prometeu que não haveria perguntas sobre a greve dos professores, o que viabilizou a presença da ex-secretária. “Ela deu ordem aos jornalistas para não entrarem no assunto e acompanhou a entrevista no estúdio para inibir qualquer tentativa”, relata a blogueira Fabiana Pulcineli, do jornal goiano O Popular.

Mas o jornalista Marcelo Adriani, cumprindo seu papel, acabou tratando do tema, sem citar expressamente a greve. Perguntou por que havia tanta dificuldade para valorizar a educação. “No dia seguinte, os dois apresentadores foram chamados por Abadia e informados de que estavam fora da função. Segundo relatos de colegas, ela reclamou da ‘desobediência’”, descreve a blogueira.

Acuado, governo recua


O afastamento dos dois profissionais revoltou os trabalhadores da emissora pública. O Sindicato dos Jornalistas de Goiás enviou ofício à Agecom questionando a censura. “Pelos relatos de um dos apresentadores, foi uma ação totalmente condenável”, criticou Cláudio Curado Neto, presidente da entidade. Diante a pressão, ontem (26) a direção da TBC foi obrigada a recuar na punição.

Segundo Fabiana Pulcineli, “a TV Brasil Central decidiu reconduzir os jornalistas Michelle Bouson e Marcelo Adriani depois que o governador Marconi Perillo (PSDB) determinou ‘providências para esclarecer os fatos’”. A notícia sobre o recuo foi confirmada pela entidade da categoria, que participou de negociação com a direção da Agecom e da TBC.

Acuado, o governador tucano ainda tentou contornar o desgaste em seu twitter: “No nosso governo não existe qualquer tipo de censura, perseguição ideológica ou cerceamento de liberdade”, disparou. Caso não houvesse a gritaria, o PSDB recuaria em mais este grave atentado contra a liberdade de expressão?

Nenhum comentário: