28 de mai de 2012

O monopólio da família imprensa mente.

A família imprensa mente que nem sente. Qual é o preço para ser manipulado por uma família que detém o poder do monopólio da imprensa?
Uma imprensa sinistra que não fiscaliza, muda e surda nas questões pertinentes a comunidade menos favorecida (esclarecida), o preço: um contrato com prefeituras e câmaras municipais por esse Brasil a fora, para silenciar diante das irregularidades, sobretudo, sem o consentimento dessa mesma população humilde que todos os dias sofrem com as ações manipuladoras da imprensa.
Uma imprensa antidemocrática que está preocupada em defender seu candidato. O aparecimento de uma imprensa, cujo fim é tratar de interesses partidários, uma imprensa oriunda de uma família politiqueira que a cada edição, desvirtua a realidade e cria asas para corrupção, a falta de interesse em fiscalizar as ações do poder público está evidente nas páginas desse monopólio pertencente a algumas famílias que detém o poder da imprensa.
Neste sentido, antidemocrático, a imprensa passa despercebida, “O Bichão na pele de cordeiro”, a pluralidade de informações está cada vez mais distantes dessa mesma imprensa sinistra e arrogante, entretanto é notório que ela vive a custa do dinheiro público.
Contudo, o monopólio coercivo da imprensa cria-se uma particularidade econômica partidária, uma hegemonia calcada em manipulações favorável a um grupo políticos e coronéis financiadores de campanha política, falando nisto - “esse monopólio da família imprensa é altamente prejudicial aos municípios”.
A comunidade periférica convive com a nova cara da imprensa, cujo fim é tratar de interesses de um grupo político.

Nenhum comentário: