7 de mar. de 2013

O que leva um Vereador a declinar seus ideais.

Por Adeir Alves

 Durante o processo eleitoral, os candidatos a vereadores, tem a fórmula mágica e simples (talvez a solução da maioria dos problemas esteja em sugestões e atitudes simples) para todos os problemas que afligem sua comunidade. Bom isso antes de serem eleitos!


 Mas antes de iniciar esse assunto sobre o trabalho dos vereadores nas Câmaras Municipais por todo Brasil. Qual é o papel do vereador em sua cidade? Fiscalizar as ações do executivo, elaborar projetos que melhores a qualidade de vida de sua comunidade, isso mesmo! ELABORAR PROJETOS e não ficar somente esperando projetos e propostas do Executivo entre outros?

 A importância dos ideais partidários, os princípios éticos morais dos mesmos, muitas vezes, por falta de instrução e falta de estudos para compreender qual é seu papel quanto representante do povo, são questões pertinente a ser mencionada nesse texto, acerca de analisarmos quanto vale um vereador, quando se trata de interesses próprios - para que possamos concluir o que leva um represente do legislativo a se ridicularizar. 

Será esta prática é possível? Se você fosse vereador, você se venderia e passaria para o outro lado? Uma coisa é certa, o mercado tem valores, mas tem ética? A ética parece ter valores no mercado político. A nossa sociedade não é burra (assim espera-se que não seja tão burra assim), para compreender o que é imoralidade, ela é apenas pacífica e pacata a qualquer estimulo de reação.

 Entretanto, quanto um vereador se propõe a se ridicularizar sua conduta á frente do legislativo, ele sem dúvida é julgado pelo povo, como Jesus Cristo, no sermão da montanha, quando pregou aos judeus que se juntaram aos milhares para ouvi-lo, falou: “Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra” Mateus 5:39. 

O povo diariamente leva gratuitamente um tapa de imoralidade, no rosto, portanto o povo saberá oferecer a outra face na hora certa? O que leva um vereador a se ridicularizar á frente do legislativo, a ambição pelo dinheiro público? A ganância pelo poder corrompe todo processo ético da vereança, e nós cidadãos conscientes o que podemos fazer para eliminar essa pratica terrível e corriqueira que acontece diariamente por esse Brasil a fora? 

Conduzir de braços cruzados alimentamos uma economia imoral á custa de joguinhos políticos, socialmente excludente á novas gerações, que nos faz refém de uma economia politicamente alienada fruto de uma sociedade idem? 
Para reflexão final: se existe a corrupção é porque existe o corruptível. A simples lei da oferta e da procura infelizmente presente no cenário social, econômico, anti-ético e político.

Um comentário: