7 de mai de 2013

É tudo uma questão de ausência de Políticas Públicas.

Por Adeir Alves

 Quando abordamos um assunto que diz respeito à questão da violência, vandalismo, entre outras questões envolvendo a ausência do poder público, pontuamos a inércia, para não dizer o comodismo dos governos. 

Nas periferias de várias cidades do País, podemos ver de olhos bem abertos a ausência do Pode Público assolando a classe de jovens negros e brancos pobres, que são sempre lembrados em épocas de eleições.
 Convenhamos, os políticos querem mesmo o voto e a distância de quem reside na periferia, essa é a imagem perfeita do bom político arrogante de hoje, com o poder aquisitivo inferior, a comunidade periférica está sempre em desvantagem e pensando como ser duas vezes melhor durante o processo de evolução, com a ausência de políticas culturais, educacionais, esportivas - não há como inserir os jovens em um Estado de inclusão social, sem as ferramentas certas.

 São apenas jovens de periferia. Reduzir a maior idade e enquadrarem-nos presídios que somaram um grande número de pretos e brancos pobres, quem sabe argumento sustentado pelo Governo do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB) reduzir a maior idade penal, seja uma afronta ao povo brasileiro. Como podemos analisar nesse texto, é mais fácil para o político conservador investir em uma política ostensiva corrupta, do que investir em políticas públicas e solucionar questões que aflige os jovens negros e brancos pobres das periferias.

Nenhum comentário: