13 de mai de 2013

EM GUAíRA (SP), PARTIDO DOS TRABALHADORES SE MOBILIZA CONTRA GOLPE CONTRA A GOVERNABILIDADE E A DEMOCRACIA.

Por Conrado Vitali de Oliveira, nas redes sociais:

 EM GUAíRA (SP), PARTIDO DOS TRABALHADORES SE MOBILIZA CONTRA GOLPE CONTRA A GOVERNABILIDADE E A DEMOCRACIA. INVESTIDA CONTRA A LEGITIMIDADE POPULAR E LIBERDADE DE IMPRENSA É FEITA PELA CHAMADA BANCADA "SEVERINA" DA CÂMARA, FORMADA POR VEREADORES CONSERVADORES, E POR ORGÃOS DE IMPRENSA COMPROMETIDOS COM A ELITE QUE PERDERAM CONTRATOS COM A PREFEITURA 

 Como bem lembrado pelo colunista Elio Gaspari, em espetacular artigo deste final de semana, atribui-se ao professor, político e ex-ministro das Relações Exteriores San Tiago Dantas (1911-1964), a definição arrasadora de que " a Índia tem uma grande elite e um povo de bosta e o Brasil tem um grande povo e uma elite de bosta”. Pois em Guaíra (SP), o ensinamento do professor Dantas, que também era exímio jornalista, encontra vasta e fértil planície para mostrar que continua incrivelmente atual.

A elite de bosta da cidade, representada pelos vereadores da bancada carlista - José Mendonça, José Natal, Cecílio Prates, Bia Junqueira e Marco Pugliesi (parlamentares que viram o candidato que apoiavam nas eleições de 2012, José Carlos Augusto perder a disputada pela reeleição) - tenta, como fez em 2008, promover um golpe sujo para prejudicar a governabilidade e impedir a continuidade das conquistas que o governo popular do petista Sérgio de Mello - apontado, por pesquisas de opinião como o nome de maior credibilidade no cenário político local - vem apresentado, a toque de caixa, desde o início da renovadora gestão 2013-2016. Para dar corpo ao mal disfarçado golpe político, a Câmara Municipal, comandada por José Virgulino Medonça, o rei do cangaço decadente, "comprou", sem vergonha nenhuma, o apoio do Jornal O Guaíra e da Rádio Cultura - veículos de direita e comprometidos com o carlismo derrotado da cidade - com dinheiro de cachaça: R$ 49 mil para o jornal e R$ 55 mil para a emissora. A esmola indecente foi aceita de forma canina pelos dois orgãos de imprensa já que tem aroma de osso suculento para suas receitas, atingidas de morte pela suspensão do repasse generoso de recursos com os quais contavam na administração anterior. Ao assumir, o novo prefeito, Sérgio de Mello, encontrou a conta suspeitíssa de R$ 600 mil reais repassados em apenas dois anos ao Jornal O Guaíra e à Rádio Cultura e deu ordem para acabar com a safadeza. Ato contínuo, desde então, O Guaíra e Rádio Cultura, atacam de forma rancorosa o prefeito que tirou o doce de sua boca e apóiam toda e qualquer investida da bancada severina do parlamento contra o gooverno legítimo de Sérgio de Mello. No arcabouço cretino do golpe da elite de bosta, como diria San Tiago Dantas, está a tentativa de atingir O JORNAL, veículo independente e corajoso da mesma cidade que mostrou, com denúncias fartamente documentadas, como o então governo José Carlos Augusto, ludibriou a população e como a imprensa vendida da cidade - destaque para a fome indigente de O Guaíra e da rádio Cultura - trabalhou, de forma dedicada, nas últimas eleições, para evitar que o povo voltasse ao comando do município. Escaldado pelo golpe de 2008, quando a elite de bosta - que contou, preciso admitir, com a participação decisiva , inegável, lamentável e vergonhosa deste colunista - promoveu uma campanha suja e imoral contra Sérgio de Mello, o Partido dos Trabalhadores prepara-se para evitar mais uma bandidagem política. O diretório local do partido está estarrecido com a tentativa de uso da imagem do Ministério Público pelos severinos da Câmara como forma de usar a promotoria como "montaria" desavisada para sua conspiração. O partido, pelo que apurou este colunista, vai exigir uma postura ética, constitucional e absolutamente legalista do MP no sentido de evitar aberrações como a da campanha do ano passado, quando declarações do delegado de polícia civil do município foram parar nos carros de som da campanha do então candidato José Carlos Augusto, numa mistura inaceitável entre autoridades fiscalizadoras do estado e disputas políticas. Também como lembrou Gaspari em sua coluna, presidente eleito, Tancredo Neves preparou um discurso de posse que, por conta de sua morte, nunca foi lido, mas trazia um trecho formidável que confirmava, com elegância, a tese curta e grossa do professor San Tiago: "Nosso progresso político deveu-se mais à força reivindicadora dos homens do povo do que à consciência das elites. Elas, quase sempre, foram empurradas”. Abaixo, foto do professor Dantas. No que depender da constituição, da legalidade e da liberdade de expressão plena - que acaba de ser confirmada por decisão histórica do Supremo Tribunal Federal - a elite de bosta de Guaíra não mais promoverá impune, golpes destinados a prejudicar a população para defenderr seus negócios espúrios. O Brasil foi reinventado. Neste novo país, onde os pobres deixaram de sê-lo, ganharam dignidade e melhoraram de vida, não há mais espaço para severinos desprezíveis e seus amigos pelegos da imprensa vendilhona.

Nenhum comentário: