26 de jun de 2013

Brado retumbante

Por Sérgio de Mello, nas redes sociais:

“... grande parte dos problemas está no Congresso Nacional (duas casas, representantes escolhidos pelo voto direto de todos), daí o país precisar urgente de reforma politica e eleitoral, como a presidente Dilma prega, pois a nossa democracia representativa da forma como está não funciona no sistema presidencialista... que exige a formação de bases aliadas de araque, por conveniências, caso contrário não se tem o mínimo de governabilidade e avanços (foi assim com Itamar, FHC, Lula e agora a Dilma). Não estou contra os protestos e, tirando o vandalismo e violência, estou muito feliz com o que está acontecendo... meu despertar para a politica aconteceu justamente nas ruas, em movimento como esse nos anos 80, por democracia e Diretas Já... apoio todas as pautas do movimento, mas precisamos canalizar bem essa revolta para que não vire frustração... ou autoritarismo... o Brasil não pode esperar mais... a hora de enquadrar a classe politica - em Brasília, nos Estados e nos municípios (Guaíra inclusive) é agora. Bom domingo e semana. Estou escrevendo um artigo sobre isso...”.

Acredito que o comentário acima, feito por mim em debate no facebook, às 11:17 horas do último domingo, demonstra que – como cidadão e político – entendi claramente o recado retumbante das ruas e, por seu pronunciamento na TV e primeiras medidas anunciadas, avalio que a Presidente Dilma também... E você governador, senador, deputado, vereador, delegado, juiz, promotor, etc, ou seja, todos aqueles que exercem uma função pública relevante para a vida em sociedade, com harmonia, paz, justiça social e oportunidade para todos, entendeu? 
O povo brasileiro – especialmente a juventude – cansou de maus exemplos, demagogia, ineficiência, mau uso do dinheiro público, descaso com o voto popular e, especialmente, não tolera mais a corrupção e a impunidade. O protesto é geral, mas a maior indignação e cobranças são dirigidas aos agentes políticos, especialmente os detentores de mandatos eletivos, de todos os partidos, nos Poderes Executivo e Legislativo, nas três esferas de governo: país, estados e municípios. 
De minha parte, as surpreendentes manifestações deste já histórico mês de junho de 2013, consolidaram uma ideia e vontade que vinha nutrindo desde abril, mas tinha dúvidas se a proposta soaria utópica, demagógica ou até mesmo ingênua. Queria anuncia-la na semana do aniversário do município, recuei, mas agora a vejo em total sintonia com o momento político vivido no país, onde os anseios por mudanças também levaram as ruas centenas de guairenses na ultima sexta-feira, em protesto pacífico e respeitoso, dando lição de civismo e maturidade a todos. 
Um pacto... Isso também seria possível em Guaíra? Reunir lideranças políticas, comunitárias, empresariais, sindicais, religiosas, formadores de opinião, etc, colocando em primeiro lugar os interesses da nossa cidade e nossa gente, para um diagnóstico comum e planejamento estratégico de longo prazo? Superar diferenças ideológicas, preferências partidárias e eventuais ranços remanescentes para um diálogo fraterno e propositivo por Guaíra? 
 Na geralmente conflituosa seara política, apesar das dificuldades aparentes, hoje avalio ser perfeitamente possível a formatação coletiva de um PACTO POR GUAÍRA, especialmente por todas as pessoas e lideranças sensíveis ao brado retumbante que ecoou das ruas de todo o Brasil e que continuará ressoando, alto e bom som, ainda por muito tempo, especialmente para a classe política que tem juízo e respeito pelo povo. 
Publicamente, para todos os interessados, lanço o convite e chamamento para a discussão coletiva da “Guaíra que temos e a Guaíra que queremos no seu Centenário”. Por atribuição e competência legal, minha equipe de governo está preparando o PPA-Plano Plurianual 2014-2017, que em breve será enviado à Câmara Municipal para discussão e votação pelos vereadores. Não obstante a legitimidade da democracia representativa, aliás bastante questionada nos atos de protestos, avalio oportuna e até mesmo necessária a ampliação dos debates desse planejamento estratégico em nosso município. Mais que isso, o momento exige prova de comprometimento para com o interesse público, daí a oportunidade para um planejamento muito além do curto e médio prazo de quatro anos. 
Vamos pensar, debater diretrizes de longo prazo, definir metas estratégicas comuns e assumir coletivamente compromissos para a cidade que queremos festejar no seu centenário, daqui ha 15 anos. Amarrar isso em leis municipais duradouras como o Plano Diretor, Código de Posturas, Uso e Ocupação do Solo, Planos de Gestão Integrada e outras, que necessitam urgentemente de revisão e adequação ao real interesse público. Assim, independentemente de partidos e governantes de turno a cada mandato, no Executivo ou Legislativo Municipal, as Macro necessidades do município e os anseios dos guairenses estarão assegurados pela continuidade administrativa responsável e visão moderna de governança participativa.
 Por Guaíra e pelo fortalecimento das instituições democráticas, com o devido respeito as atribuições e autonomia dos poderes constituídos, direito de crítica e liberdade de expressão para todos, façamos esse esforço coletivo. Se você comunga com esses sentimentos e apoia a ideia, compareça no dia 19 de julho, sexta-feira, as 19:30 horas, na Casa de Cultura. Às vésperas da abertura do ECAL, apresentaremos formalmente a proposta do PACTO POR GUAÍRA. Participe e faça sua adesão. Até lá!

Nenhum comentário: