14 de out de 2013

Denir e a Reforma Administrativa.

Por Adeir Alves

 O prefeito interino, Denir Ferreira dos Santos, com a boa aceitação e a boa convivência com a família guairense, está inovando a gestão pública. Dando continuidade ao trabalho que já vinha sendo desenvolvido, Denir implantou uma nova forma de governar, priorizando o atendimento ao povo e visitando os setores públicos. O povo aprovou a nova cara do governo.
No entanto, para melhorar a gestão e atender a necessidade de modernização do município, Denir reforçará o pedido a Sérgio de Mello, após a sua chega da visita à Terra Santa (Israel), para que ele priorize a reforma administrativa  no governo municipal.


Como empreendedor de sucesso, Denir sabe da importância da reforma administrativa, no que tange o enxugamento da máquina administrativa. Entretanto a unificação de algumas Secretarias reforça a valorização da pasta da “Assistência Social”, já que a mesma trabalha para o desenvolvimento de políticas públicas que incorpore as necessidades da classe baixa, em nosso município.

Valorizar a gestão e trabalhar com recursos oriundos do orçamento público é o berço da gestão de Denir, contudo ele não medirá esforços para que Mello avance no progresso da cidade, com a implantação da reforma administrativa no governo.

A reforma administrativa na unificação de algumas Secretarias e o enxugamento no orçamento público, dará ânimo à economia, como também aumentará o poder de investimento na cidade - será um viés na economia do município - concomitante ao gerenciamento no orçamento público com responsabilidade.

Por tanto, Denir deverá indicar a Sérgio a criação da importante Secretaria da “Igualdade Racial”, já que o mesmo é membro do “Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra do Município”.

A reforma administrativa sepulta a conduta perversa e  autoritária de alguns Secretários, sobretudo será um avanço na gestão pública – que será vista com bons olhos pela família guairense - contudo - Denir não deixar Sérgio de Mello cometer os mesmos erros da administração passada.

Nenhum comentário: