22 de mar de 2014

ARES-CONDICIONADOS DA CASA DE CULTURA NÃO FUNCIONAM PORQUE SERVIÇO PAGO EM 2012 NÃO FOI CONCLUÍDO

O problema com os ares-condicionados do teatro Abraão Cury é motivado por uma rede elétrica deficiente do prédio da Casa de Cultura Professor João Augusto de Mello. Reformado em 2011 o espaço teve a instalação de potentes equipamentos de refrigeração o que motivou a contratação de uma empresa para serviços de aumento de carga da rede elétrica. Problema é que o serviço, já pago em 2012, não foi concluído. 

 O QUE FALTA

A Secretaria de Engenharia e Obras relatou o que falta para os ares-condicionados serem ligados sem problemas ou riscos de curto circuito: são os cabos elétricos que partem da caixa de energia, próxima à calçada, até o prédio do centro cultural. Esta é a ação essencial, alguma adequação na entrada de energia para se ajustar aos padrões exigidos pela CPFL devem ser feitas. No entanto todas estas tarefas já estavam previstas na obra paga. O secretário de Engenharia e Obras, Said Abou Hammine Filho já está estabelecendo contato com a empresa que executou o serviço. A ideia é amigavelmente solicitar que o trabalho seja concluído e, conforme relatou o secretário o prestador de serviços acenou positivamente.

ALVARÁS 

AVCB – Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros – vulgo alvará dos Bombeiros é exigência para todo prédio de visitação pública, municipal, estadual ou privado 

 Pelas normas todos prédios que recebem visitação pública, sejam eles públicos ou particulares, devem ter o AVCB – Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros – vulgo alvará dos Bombeiros. A Prefeitura foi notificada pela Justiça acerca dos seus próprios públicos que recebem eventos: Casa de Cultura, Centro de Lazer, Centro Esportivo Ramize Elias, Ginásio de Esportes e Centro Social Urbano e já está providenciando a regularização. 
O município está concluindo o Projeto de Prevenção e Combate a Incêndios. Esta peça é fruto de uma sondagem que apresentou quais os itens que demanda cada prédio de acordo com as exigências das normas. A estimativa é que a implantação de equipamentos e reformas estruturais para ajustar estes cincos prédios públicos custe de R$ 500 mil a R$ 600 mil. O AVCB, ou alvará, só é emitido depois que o prédio receber as obras e suprimentos, quando passa pela vistoria dos Bombeiros. Estas premissas valem para outros prédios estaduais, federais e privados.

Trata-se de um problema estrutural que existe há décadas e o prefeito, Sérgio de Mello foi o primeiro a mobilizar estudos para criação de um projeto para ajustar os prédios ofertados ao público às normas, proporcionando mais segurança aos frequentadores. No caso específico da Casa de Cultura apesar de passar por reforma recentemente já existem avarias como goteiras e piso soltando (ver imagens).
Da DireCom Guaíra/SP

Nenhum comentário: