31 de mar de 2014

Mello e o sonho do Secretário técnico-político na gestão.

Por Adeir Alves

 Mello tem demonstrado uma certa preocupação com seus Secretários, quanto à questão técnica e política, entretanto, Mello quer dar uma nova cara ao governo com um novo jeito de governar, incorporando o Secretário técnico-político na gestão. 

Mello deverá cobrar de seus Secretários, muitos preocupados com o salário no final do mês, uma postura técnico-político quanto as soluções nas suas devidas pastas, antes mesmo dos problemas não solucionados chegarem ao conhecimento da Chefia de Gabinete para ser resolvido.
A nova política de implantação do Secretário técnico-político, é solucionar os problemas com rapidez e prestar um serviço de excelência à família guairense, nas devidas Secretarias - aquele que não se adequarem, infelizmente deverá estar fora grupo!

Mello depois da criação do Diário Oficial do Município, que deu fim ao xaveco da imprensa, vem enfrentando um forte ataque gratuito por parte dos meios de comunicação, como nunca antes na história do município, portanto, é necessário uma política de combate a manipulação e as inverdades - seus Secretários terão que se enquadrarem no quesito técnico e político da administração, sobretudo, valorizando a parte técnica e política da gestão. 

Mello deverá inovar o grupo com a cobrança de uma nova política de tratamento à família guairense, o respeito e o diálogo e a solução para os problemas que afligem os pagadores de impostos serão resolvidos em tempo relâmpago, com a nova política sonhada por Mello. 

A política é uma escola.

 Mello lembra bem quando em outras gestões, municiaram de poder o Ex-Chefe de Gabinete, que, por falta de experiência, mais parecia um Primeiro Ministro que dava ordem até para o Vice - Prefeito, por isso Mello deve ficar atento á questão do excesso de poder. 

A necessidade de uma nova política incorporada ao governo Melista, aflorou com a necessidade da ascensão popular, Mello quer um governo democrático, sobretudo valorizando a família guairense.

Nenhum comentário: