13 de jun de 2014

Governo não deve temer a participação dos governados?

Por Adeir Alves 

 O governo deverá encontrar no calor do povo as respostas para as medidas a serem tomadas acerca de conter as oscilações do orçamento público, mergulhando nos fundamentos essenciais da democracia brasileira, sobretudo, o alicerce de cada governo futurista, é ouvindo o povo acima de qualquer decisão proferida pelo governo.


O governo Melista com as oscilações do orçamento público se viu acuado com a pressão exercida pelos editoriais furibundos do Jornalão da baronesa e da pequena Rádio Cultura. Mello precisa falar com os governados, ouvir o Pôncio Pilatos da propaganda é lambança na certa. 

O que está em jogo para Mello é a continuação do projeto envolvendo a coligação que venceu as eleições de 2012, o momento é crítico e exige experiência e calma por parte do governo de todos.

 Quem tem medo da participação popular? A Imprensa que sempre viveu a custa do dinheiro público tem medo das transformações oriunda da participação cidadã. Ouvindo o povo nas decisões do governo, contudo, o governo reforça o poder da Democracia, que a imprensa tenta de forma cínica, demagógica e manipuladora neutralizar. 

O governo deverá, em cada Bairro da cidade em audiência pública, ouvir o povo sob as novas medidas a serem tomadas para conter as oscilações do orçamento público, bem como o enxugamento da máquina administrativa entre outras propostas governamentais.

Nenhum comentário: