29 de set de 2014

Qual é o silêncio que produz uma imprensa sem ética, o meu o seu?

Adeir Alves

 Desde que o prefeito Sergio de Mello assumiu o paço municipal, no dia primeiro de janeiro de 2013, um dos seus primeiros atos sensatos, foi o de cortar os contratos com parte da imprensa sensacionalista que não resultava em nada na melhoria na qualidade de vida dos munícipes Agindo como administrador que pensa em seu povo e entendendo por bem investir esses recursos em manutenção junto aos cofres públicos, Mello fez um bem enorme para a comunidade guairense. 


 Mas, como em cada ação vem a reação, adivinha só qual foi a reação por parte da imprensa que, ao saber que não mais mamaria em tetas públicas através de contratos? Bingo! Logo a mira de suas metralhadoras miraram para o governo municipal, municiadas em injustiças e inverdades contra o homem que, pensando nos munícipes, teve a coragem de dar um basta na forma que a imprensa via a prefeitura: um basto de engorda, com tetas para fortalecer os pequenos e grande bezerros. 

 Hoje em dia, a imprensa literalmente resolveu entrar de vez em guerra contra o atual governo, sem se importar com a ética a imprensa mira sua metralhadora e sai atirando sem se importar com o que é produzido em cada gatilho puxado, pode ferir pessoas de bem. Mas para a imprensa sem ética o que quer dizer gente de bem? Será pessoas de coragem que trabalha em prol a população! A preocupação dessa imprensa, é apenas a oportunidade de voltar a mamar nas tetas (contratos). E, ainda dizem que faz jornalismo com ética. 

 É hora de dar um basta nessa estratégia nojenta que pode até ser normal por aí. Mas não é moral em terras de gente de bem! E diferentemente dessa imprensa que só vive apenas para voltar a mamar nas tetas, em contratos com a prefeitura, me sinto no dever e obrigação para chamar a população para refletir sobre essa falta de ética por parte da imprensa, ou seja: a quem a imprensa serve, aos seus proprietários ou a sociedade? A quem ela deve respeito e obrigação? Tem espaço para essa imprensa que só quer se beneficiar em contratos? Reflita sobre isso, porque o dinheiro que são pagos nesses contratos, saem dos impostos que você paga, e, isso a imprensa não esclarece a você não! 

Queria muito poder falar sobre outros assuntos de grande interesse para o desenvolvimento do município, mas, infelizmente, me sinto no dever de contribuir através deste espaço para fazer o exercício de reflexão sobre o que você ouve ou lê por aí, acreditando que a imprensa esta agindo porque esta pensando em você. Vamos refletir da seguinte maneira: por qual motivo a imprensa está mirando sua metralhadora para o governo municipal, municiando-se em conteúdos forjados em inverdades que não mata, mas que fere o caráter e a forma honesta de trabalho por parte dos colaboradores do governo? Essa prática antiética de se fazer jornalismo não vem de hoje, mas se a população deixar ser manipulada, provavelmente, vão se transformar em fantoches do jornalismo, ou seja, vão reproduzir somente o que a imprensa de interesse desejar. 

 O jornalismo realizado por uma certa família, de um certo órgão de imprensa, que há décadas vem agindo da forma em que a ética é movida a base de contratos. Desta vez, sem contratos como a prefeitura, eles desenvolvem seus ataques raivosos, onde pegar a mordida, pegou. Doa a quem doer, mas seus interesses tem que ser molhados através do doce leite que eram tratados os contratos com a prefeitura. A fome é tanto por contratos que a imprensa age sem os princípios básicos do jornalismo.

 E ao detectar esse tipo nojento de jornalismo antiético como nunca antes visto na história política de Guaíra, resolvi bater um papo com alguns munícipes mais velhos, e por minha surpresa, eles relatam que nunca haviam presenciados tamanhos afrontamentos a outros governos, eles mesmos estão percebendo essas segundas intenções por traz desses ataques, nesse jornalismo de interesse. 

 A imprensa notícia os fatos, é claro manipulando a notícia em seu interesse, acreditando que a população vai receber a notícia e vai correndo para a porta da prefeitura, para pressionar o prefeito que esta trabalhando em nome do seu povo. É aí que entra o interesse da imprensa, porque qualquer outro prefeitinho pressionado, logo se renderia aos anseios da imprensa e, pronto, contratos eram assim realizados e a população não mais iriam receber notícias maquiadas em interesses jornalístico. Quanta falta de ética, hein?! Assim é que trabalha a imprensa que se diz ferramenta do povo. 

A população guairense é uma população de gente de bem, gente que trabalha e que contribui para o desenvolvimento do município através de seus impostos. Impostos, ou melhor, parte do orçamento esse que a imprensa fica de olho o tempo todo, e como ela não contavam com a ética e o compromisso por parte do prefeito Sergio de Mello, ela age da forma mais ordinária de fazer jornalismo, a forma de interesse, demonstrando claramente que ética é coisa do passado. A moda agora, é mamar em tetas públicas.

 Depois de refletir sob a postura de interesse por parte dessa imprensa, espero que você cidadão de bem, pagador de impostos, trabalhador e contribuinte diga não a essa forma jornalística, sem ética e cheia de interesse. Mas, calma aí! Tem mais dois importantes fatos que a imprensa guarda em seu silêncio profundo, mas que acredito que para enriquecer a reflexão por parte do nobre leitor, é valido, como por exemplo, nas últimas eleições o caso que causou indignação na família guairense, foi o fato do candidato a prefeito Sergio de Mello, do grupo político pertencente a esquerda, teve que se explicar depois das mentiras da imprensa que o mesmo teria invadido as dependência do poderosíssimo órgão de imprensa que, até então, mantinha robustos contratos com o atual governo. Mais uma estratégia de manipular os fatos. A população lembra claramente desse fato. 

Pensa que acabou o silêncio de interesse por parte da imprensa? Ajudo a esclarecer para refletir! ! Um outro silêncio jornalístico, de forma jornalística de interesse, envolveu um excelentíssimo médio que expôs seu repúdio e sua indignação nas redes sócias, quanto a mentira propagada pela falta de ética da imprensa, onde essa mesma imprensa havia dito que esse médico teria pedido demissão, entendendo que o mesmo tinha abandonado seu paciente, aí foi a gota d’água para que o médio esclarecesse a mentira por parte da imprensa tendenciosa. Ao refletir sobre tudo isso, eu lhe pergunto nobre leitor: Qual é o silêncio que produz uma imprensa sem ética, o meu o seu?

Nenhum comentário: