3 de jan de 2015

A consagração da gestão Melista e a reeleição de Mello

Adeir Alves 

 Mello irá cumprir com sua palavra de erguer um governo ancorado na honestidade e, sobretudo na moralidade direcionando Guaíra para o progresso e, para isso, irá mexer novamente em seu quadro de Secretários, tudo indica que Mello deverá dar uma entrevista exclusiva por esses dias anunciando uma nova troca de Secretários conforme Mello tinha dito no começo de seu mandato, que os cargos públicos empossados na gestão não seriam para os quatro anos, podendo haver alterações no andamento de sua governança. 


Mello está animado nestes dois anos que faltam para concluir seu governo, muita coisa boa vem por aí em 2015 e 2016, sem dúvida que Guaíra vai alçar voô na rota do desenvolvimento. A euforia Melista deixa bem claro que, evidentemente o município sinaliza para uma transformação meteórica como nunca antes na história do município a família guairense tinha sido presenteado com tantos investimentos na cidade.

 A nova mexida no time faz parte do rol de políticas que irão ser incorporadas por Mello a frente da máquina pública nestes últimos dois anos, condicionado o governo para um nova proposta de governar. 

Mello sempre deixou bem claro que quer um governo de coalizão, de diálogo, democrático e plural, por isso Mello em uma manobra inteligentíssima sepultou todas as caixinhas de poder que habitavam no governo quando, sem meias palavras, oxigenou seu próprio sangue (as caixinhas de poder oriundas da vaidade política foi germinada - ao que tudo indica - na ausência do gestor). Na verdade, as caixinhas de poder lideradas pela força oculta que habita no Paço e que, antes, dominava a gestão sonhava em gestar um governo de puro sangue, todavia o poder nanico foi, sem o consentimento de Mello, germinando uma espécie de força oculta que atingia incessantemente os Presidentes de Partidos e minavam os apoiadores do grupo, Mello ganhou a cena, ficou velhaco e agiu rápido. 

Mello ouviu o grito que ecoou um enorme som de descontentamento dos Presidentes de Partidos e os apoiadores do grupo quanto ao perverso poder que aterrorizava a coligação, um descontentamento que automaticamente atingia a popularidade de Mello no grupo.

 Com o sepultamento das caixinhas de poder, Mello ganhou moral no grupo, sobretudo a confiança da Coligação, dito isso, 2015 e 2016 serão os anos de consagração da gestão Melistas direcionando Mello para uma futura reeleição.

Nenhum comentário: