25 de mai de 2015

A crise mundial afeta Guaíra e a força política do governo?

Adeir Alves 

 A crise mundial tem afetado vários Países da América Latina, o Brasil é um deles. Esse ano nosso município também sente os efeitos da crise com a queda de arrecadação no orçamento público, logicamente o déficit no orçamento público engessa a gestão e, todavia direciona Guaíra para uma espécie de abstinência de recursos oriundos dos impostos, na verdade os investimentos que deveriam transformar-se em obras é, por conta da crise, reduzido apenas à folha de pagamento do funcionalismo público, infelizmente é uma situação caótica que o gestor público terá que enfrentar. Guaíra mesmo com o déficit orçamentário existe um grande número de obras sendo erguidas.


 Uma questão importantíssima e valorosa é a carta na manga que o governo municipal tem: sua força política que é sem dúvida a solução e a saída necessária para compor o déficit no orçamento público, ou seja, o combustível para que máquina pública continue trabalhando sem precisar criar novos impostos. 

É evidente que nesse momento de crise que o País esta atravessando, tem sido notório que todos os governantes têm procurado soluções para resolver esse problema da crise mundial que assola o Brasil e, evidentemente que deságua na queda de recursos públicos dos municípios, infelizmente Guaíra foi pego de surpresa, porém a força política junto aos Deputados Estaduais e Federais, Senadores e os Governos Estadual e Federal é uma ferramenta que os governantes podem fazer uso para suprir as necessidades do déficit orçamentário de cada município. 

É nesta hora que podemos aferir o trabalho do comandante da máquina pública e sua força política para garimpar verbas para a cidade, é hora do veredicto, é na verdade a hora que a família Guairense poderá analisar o quanto a gestão é eficiente. Cabe cada um observar o que está sendo construído e inaugurado neste momento de queda de arrecadação. 

Tudo está sinalizando para que o governo municipal tome algumas providências para sanar os problemas exaltados pela crise e, uma delas é dar poder ao Vice-Prefeito para que ele faça a sua parte junto à gestão pública no tocante a potencializar sua força política e, simultaneamente o Prefeito cria um mecanismo de participação e cobrança dos membros de seu grupo político direcionado ao Vice-Prefeito, a grosso modo o Prefeito delega um trabalho empírico e uma responsabilidade ao Vice-Prefeito. 

Também o governo municipal deverá fazer uma coisa muito incômoda para ele que é abandonar o gabinete e seguir em viagem rumo a sua força política para realizar seu plano de governo que é composto por obras importantíssimas para serem construídas, como por exemplo: Estância no Bairro São José do Albertópolis (Guaritá), Centro Municipal de Eventos e iniciação da construção de 1000 casas, até porque ele tem uma marcação serrada por parte da dobradinha oposição hostil e família-imprensa, não será fácil para esse governo neste um ano e meio que faltam para o término de sua gestão. 

Entre todas essas tarefas de responsabilidade do governo municipal, ele terá que criar um mecanismo de conhecimento entre o povo e as ações governamentais, para vencer as manipulações dos vorazes meios de comunicação sem ética, que tentaram com sua ausência, instalar um caos na administração pública, por exemplo: o governo deve introduzir no meio social a democratização de informações, e que todas as decisões oriundas do governo facilite a participação cidadã na formulação, implementação e desenvolvimento de políticas e projetos para a cidade.

Nenhum comentário: