15 de mai de 2015

Mais poder à família guairense nas decisões do Poder Legislativo

Adeir Alves

 O poder legislativo deveria atuar em consonância aos anseios do povo. Partindo dessa lógica, é muito importante refletir sobre o trabalho dos vereadores guairense, bem como, a ausência da participação popular nas decisões oriundas do legislativo.

 Segundo a Constituição Federal de 1988, logo no Artigo 1º, Parágrafo único: “Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente nos termos desta Constituição”. Ainda segundo a Constituição, ela assegura o inquestionável direito do povo opinar nas decisões dos homens públicos, certo?!

Se o poder que advém do legislativo é emanado pela soberana força popular, conforme rege nossa Lei maior, então porque não decidir se aprovam ou não os projetos que causarão grandes e benéficos impactos, no futuro da cidade, após o parecer da família guairense? E, com isso, um gesto nobre de reconhecer a decisão soberana do poder oriundo de nossa Constituição Federal, sobrepondo o bem comum acima dos interesses particulares. 

O que a nossa sociedade pede é mais democracia e mais poder a família guairense nas decisões do poder legislativo, e não menos. Não é utopia,  não por parte de nossa comunidade, desejar uma audiência pública, nos Bairros da cidade, juntamente com toda sociedade civil organizada conscientemente opinando e dando o parecer do referido projeto junto aos senhores e senhoras nobres vereadores. De fato, a democracia não daria bons frutos? 

A voz do povo não pode e não deve ser a ausência em meios aos interesses partidários, como por exemplo, quando há aprovação de um projeto importantíssimo para o futuro de nossa cidade, as famílias se quer imaginam quais as consequências de tal projeto, aprovado sem seu consentimento, poderá causar no futuro de nossa cidade. 

Entretanto é legítimo a participação do povo nas decisões do poder legislativo sim! Exercendo o direito á cidadania, ao questionar, ao refletir, ao contribuir, etc. Por tanto, cabem a todos nós filhos da democracia fortalecer os mecanismos que garantam a participação social nas decisões do Poder Legislativo sim. Afinal de contas, não é essa mesma sociedade que os colocou como vereadores e vereadoras? Então, quem elege, são os mesmo que tira e troca a peça do tabuleiro de xadrez.

Nenhum comentário: