3 de jun de 2015

Que Guaíra queremos construir para as novas gerações?

Adeir Alves 

 A imprensa tem agido como se fosse um partido de oposição a todos os governos que não atendem seus desejos financeiros (contratos), e isso tem sido infelizmente uma verdade que está cada vez mais estampada em nosso convívio, na verdade estamos de mãos amarradas sem saber como acabar com essa guerra de informações manipuladas produzida pela falta de ética da família-imprensa. 


 Falando nisso, nossa cidade de dois anos e meios para cá, alguns órgãos de imprensa assumiram um novo jeito de fabricar jornalismo ancorado no ódio, na raiva, sobretudo fabricando um jornalismo de guerrilha, moldado nos vexames da falta de ética. 

Obviamente que todas as informações mentirosas e fecundadas pela irresponsabilidade da imprensa nos direcionam ao pensamento crítico: “Que há uma falta de compromisso com o desenvolvimento de nosso município por parte da toda poderosa família-imprensa”. 

A família Guairense não merece esse desserviço que a imprensa vem impondo com seu jornalismo autoritário, que acima de tudo sobrepõe os valores que permeiam a história política de nosso município, mas não podemos desanimar, é preciso ter fé que um dia esse mal vai passar, até porque tudo que não presta passa. Na verdade a imprensa vem criando um clima do quanto pior melhor em nosso município. 

Esse cenário de embustes orquestrado pela família-imprensa parece não ter fim, parece não haver uma fórmula mágica para dar fim a todo esse flagelo. Os futuros político que vão governar nosso município em outras gestões futuras, independente da sigla partidária terão que, se a família guairense não quebrar o silêncio, abrir as torneiras do dinheiro público para manter a família-imprensa caladinha. 

Sim, é sob nosso silêncio que a família-imprensa vem desdenhando esse jornalismo das trevas, que em meios a suas conturbações, apresenta seu mais novo reforço anacrônico: a Urubóloga da Gramática que mais parece a Cicciolina da imprensa preocupada com os contratos e a vida boa. 

Há um efeito devastador produzindo pelo ódio da família-imprensa, por conta desse jornalismo de informações manipuladas e direcionadas a um determinado grupo político, então porque não refletimos que Guaíra queremos construir para as novas gerações?

Nenhum comentário: