6 de set de 2015

DO OUTRO LADO DE LÁ

Adeir Alves

 Do ponto de vista de um guairense que olha Guaíra de norte a sul, de cima para baixo, percebo que existe uma lacuna e um vazio quanto á fomentação de políticas públicas que vêm assolando a região oeste de nosso município. Esta observação, é porque nos últimos anos, cresceu de forma meteórica a habitação na região oeste, e, com isso, vários outros bairros se formarão, como Nova Guaíra, Residencial I e II, Residencial Ligia, Jardim Califórnia, R Guimarães e o Jardim Solares, entre outros bairros que compões o universo habitacional nesta região.

 Notoriamente com o crescimento habitacional na referida região, demanda a oferta governamental dos espaços de lazer, esportivo e cultural. Evidentemente para a construção de uma sociedade justa e igualitária, é necessário as atribuição das ferramentas (politicas publicas) educacionais, esportivas, culturais e assistenciais oriunda das ações do executivo juntamente com o legislativo.


 Sem um olhar crítico por parte do governo juntamente com suas ferramentas que deveriam nortear e trazer em suas virtudes de desenvolvimento o crescimento urbano, por hora em que virtudes que se deixam transformar em comodismo - infelizmente isola-se toda uma sociedade pagadora de impostos, excluindo-a dos direitos básicos assegurado pela nossa lei maior, a nossa constituição federal. Porém, é tudo uma questão de falta de entendimento por parte dos poderes executivo e legislativo, ou seja, entender um pouco melhor a semântica da “Cláusula Pétreas”.

 No entanto, há uma grande parcela de contribuintes que necessitam alimentar-se das ferramentas governamentais, oriunda dos impostos (Políticas de Direitos), isso é claro, se o governo quer erguer uma sociedade justa e igualitária, para isso é necessário o olhar crítico nesta região por parte do poder público. 

Ainda existe uma grande parcela de jovens pobres, negros e idosos que precisão ser conduzidos de forma melhor, através das ferramentas públicas e de direitos para que esses munícipes possam entender que, do outro lado de lá, eles, de fato, estão sendo representados por quem se comprometeu á zelar por todos “NÓS”.

Nenhum comentário: