24 de mai de 2016

O muro entre o governo e os membros do grupo

Adeir Alves:

 Não é novidade para família guairense que o prefeito municipal vem lutando exaustivamente para tentar erguer sua gestão em meio ao cenário político conturbador, que assola seu governo.

 Desesperado para encontrar uma solução que resolva todos os problemas que vêm direcionando sua governança ao declínio político, os olhos do governo se voltam para visibilidade de sua imagem e da primeira dama, inocentemente o gestor público acredita que essa estratégia poderá ajudá-lo aproximar-se do povo. 


Essa nova estratégia impulsionada pelo desejo absoluto de caracterizar um governo único poderá ocasionar um grande problema entre os membros da coligação que, sem voz nas ações do governo, sentem excluídos e abandonados pelo prefeito. 

Os setores responsáveis pela divulgação das proezas do chefe do executivo têm entupido as redes sociais com a imagem do prefeito e a da primeira dama, sufocando os usuários da internet, ao mesmo tempo, não oferece as mesmas possibilidades para os membros da coligação - claro que essa estratégia fecunda um estado de inversão de valores que tolhem a visibilidade dos futuros candidatos do grupo.

 No entanto os vereadores e membros da base aliada, ultimamente, não têm aparecido nas ações governamentais, claro que sem visibilidade não há como cunhar uma história política emanada pelas ações da gestão pública. 

É evidente que essa tática tem causado exclusão no grupo, para evitar desconfortos, na eleição deste ano, é necessário que os futuros candidatos a vereadores e prefeito da coligação enfrentem e forcem a derrubada do muro que separa o prefeito e os mesmos. 

Sem visibilidade por parte das ações governamentais, a coligação é impedida de aproximar da população e traçar um plano de trabalho e divulgação dos esforços de todos. Todavia é importante ceder os devidos espaços democráticos, para que todos possam fazer parte do palco onde o espetáculo demandará certa expectativa promissora nos futuros candidatos.

 Promovendo a imagem dos integrantes do grupo, a gestão pública ergue a tão sonhada ponte entre governo e povo, fortalecendo os laços com a população e, ainda, oferece um campo de igualdade e opção de escolha aos eleitores, propondo um governo igualitário e plural, cujos valores são o respeito pelo direito de escolha. 

Obviamente que um governo igualitário e plural destrói as barreiras da vaidade política, germinado um estado democrático impetrado nos valores constituintes. 

 “Só a participação cidadã é capaz de mudar o país.”

Nenhum comentário: