9 de jun de 2017

A participação cidadã nas ações do governo

Por Adeir Alves:

A construção do muro sólido entre governo e governados em nosso município, cerceia a nobre participação cidadã nas ações do atual governo. É a amputação de direitos que nos conduz à luz da consciência crítica sobre a forma com que o prefeito municipal vem direcionando sua gestão.

O que me preocupa não é uma gestão raivosa que não absolve e não aceita o contraditório ecoado nos anseios do que deveria ser participação popular nas ações administrativa, mas o que tem me preocupado é o silencio da família Guairense sobre essa forma ferrenha de governo.

A democracia participativa não pode ser exterminada das ações do governo, o pluralismo de ideias, a condução da sociedade opinando no governo, participando dos conselhos municipais, das diretorias de entidades, é a razão de termos uma sociedade movida pela unanimidade de sua autonomia, que é tão importante para emancipação social. Eu sempre acreditei que é através da participação política que todos os (as) cidadãos (ãs) podem conquistar sua autonomia nas ações provenientes da máquina administrativa, tão importante para a emancipação social.


 É preocupante: Na última Sessão na Câmara Municipal (30/05), uma fala triste do vereador Cecílio José Prates (SD), que é líder do governo, no qual ele faz uso de suas atribuições legais para questionar a nova diretoria da Santa Casa, que não havia convidado- lhe para fazer parte do quadro da nova gestão; não só o vereador, mas o convide deveria ser estendido a todos Guairenses que queiram fazer parte e ajudar no que for preciso para sanar os problemas da entidade, quem sabe os Presidentes de Bairros e pessoas comuns que residem nas regiões periféricas possam somar nesta nova gestão à frente da Santa Casa? O que é justo!

O prefeito Zé Eduardo tem o papel fundamental na criação de métodos de interconexão que possibilite a integração entre seu governo e dos diversos segmentos da sociedade, especialmente a população de baixa renda, os mais pobres, contudo, sinalizando para uma gestão democrática implicando nas relações entre governo e sociedade e gestão pública e o Povo, erguendo na prática, uma administração pública nos pilares da Democracia Participativa - garantido a cidadania e valorizando o controle da sociedade civil nas ações públicas.

Outro assunto muito importante e que necessita da participação de toda sociedade, para que Zé Eduardo abaixe a guarda e termine de uma vez por toda esse capítulo dessa novela envolvendo o CEO (Centro de Especialidades Odontológicas). O problema é a questão dos adicionais ou horas extras, que ficaram sem pagamentos da outra gestão, ou não? Então, que o prefeito junto com os especialistas procurem a melhor solução tendo o diálogo como mediador de conflitos; o que não é conveniente é transferir alguns especialistas descontentes para os Postos de Saúde (PSFs), como meio de resolver o problema e, ao mesmo tempo, mostrando quem é que manda. O CEO é a casa dos especialistas, independente dessa ou de outra gestão, será sempre gratificante saber que Guaíra é referencia na saúde bucal... Tanto é verdade que vem gente de outras cidades fazer seus tratamentos sob a confiança dos competentíssimos Doutores.

Um governo de portas abertas para o Povo. A participação dos (as) cidadãos (ãs) nas ações junto ao governo é de suma importância, opinando e dando sugestões advindas de seus Bairros, um secretário voluntário, contribuindo para o processo de discussões.

Mata do Residencial Thaís
 O prefeito está notificando todos os munícipes que não construíram suas calçadas e multando quem não limpar seus terrenos, até aí tudo certo, até porque o prefeito não governa sem a ajuda da população, ou seja, como mencionei acima, a participação cidadã. O que não é aceitável, é a Mata do Residencial Thaís I estar abandonada sem os devidos cuidados, pior: Sem a calçada construída, ainda se não bastasse o abandono da Mata, o lado
Cemitério Municipal
esquerdo do Cemitério Municipal (“Otávio Reis da Costa”) também não foi feito a calçada. É importante cuidar da cidade como um todo, ou seja, o prefeito precisa fazer sua lição de casa, antes de cobrar postura dos munícipes!

Emergimos uma Guaíra participativa e uma sociedade que esteja engajada nas ações políticas, evitando situações desnecessárias como esta impetrada pela equipe do chefe do executivo na área da saúde pública, que desativou (sem ouvir a opinião dos Cidadãos, as farmácias agregadas nas dependências dos Postos de Saúde (PSFs), espalhados pelas regiões periféricas, que realizava diariamente as distribuições de medicamentos públicos para as comunidades dos Bairros, o que facilitava a vida dos usuários.Com a mudança quem estiver acamado, os deficientes físicos, idosos, para piorar: Guaíra não tem transporte público (circular), para que nossos idosos e demais pessoas possam se locomover na busca de seus medicamentos, que agora estão sendo distribuídos em um prédio no Jardim Paulista, Avenida 31.

 É sob o manto de uma sociedade organizada participando nas ações do governo, contribuindo para o enfrentamento político, que emergiremos Guaíra de todos e para todos!


“Só a participação cidadã é capaz de mudar o país” Hebert de Sousa - Betinho

Nenhum comentário: