17 de jul de 2017

O povo oferece a outra face ao governo

Imagem ilustrativa retirada da internet
Por Adeir Alves:

 Ninguém imaginaria que tempo sombrio cobriria Guaíra em 2017. Nossa comunidade esperava ansiosa que Guaíra iria sair do retrocesso dos últimos quatros anos e avançar rumo ao progresso... Mas o que estamos vivenciando é uma verdadeira decepção política.

 Durante a campanha em 2016 tudo parecia ser real aquele clima fermentado na voz do grupo do atual prefeito Zé Eduardo, que nossa cidade alçaria voo e que as políticas governamentais mudariam o curso de nossa cidade, mas o que o povo não sabia, até então, que tempos amargos estariam por vir. 


Lembrando que no palanque, para a base do atual governo tudo era possível, então naquele momento profícuo aflorado pelas promessas de campanhas, o povo sonhou, gritou junto por uma Guaíra de igualdades, uma cidade transformadora turbinada pelas tão sonhadas políticas públicas que, no entanto, facilitassem o acesso dos mais pobres às ações governamentais, parecia tão real! 

Ninguém imaginaria que esse sonho sonhado junto com a base do atual prefeito transformaria em um verdadeiro pesadelo, como nunca antes na história. 

O povo oferece a outra face a Zé Eduardo. Tem sido um sofrimento para os governados com a centralização das farmácias, que antes eram agregada nos postos de saúde, contemplando a descentralização dos medicamentos, que são na verdade uma política do SUS (Sistema Único de Saúde) que tem como objetivo a descentralização dos serviços públicos e a humanização das ações dos governos. ‘Como no sermão da Montanha: Jesus Cristo quando pregou aos judeus que se juntaram aos milhares para ouvi-lo, falou: “Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra” Mateus 5:39’

 Com a política de centralização da farmácia municipal imposta pela base do atual governo, tem sido notório o sofrimento, tantas dificuldades desnecessárias no que seria uma questão de humanizar os serviços públicos, ramificando as políticas governamentais pertos das comunidades pagadoras de impostos, nos devidos bairros, oferecendo um governo de portas abertas para humanização dos serviços públicos. 

Falando em dificuldades, imaginem vocês leitores desse humilde blog como vai ficar a questão de quem mora longe da centralização, em outros bairros, ou quem está acamado, idosos e a população do Guaritá. Com a imprensa mantendo o silêncio, não há glorias, tudo fica mais difícil para os contribuintes. 

Ainda se não senão bastassem tantos sofrimentos, o governo aumentou a conta de água, em um momento que o país atravessa uma crise econômica avassaladora, pelo outro lado, o prefeito não cortou na própria carne reduzindo seu salário e os salários de seu Secretariado. Por tudo isso, nossa cidade sobre o silêncio da imprensa vem passando por momentos conturbadores que têm direcionado Guaíra para o fundo do retrocesso; a classe de vereadores precisam acordar a tempo, para ver o vem sendo impetrado aos mais pobres, contudo, não será fácil, no futuro, colocar nosso município nos trilhos do desenvolvimento. 

Apesar desse equívoco por parte grupo do prefeito, nós guairenses temos que demonstrar amadurecimento nessa hora, ou seja, agir com muita calma nesse momento triste. O povo vem agindo certo oferecendo a outra face e acreditando que seus representantes, os vereadores vão lutar por eles. 

Agora eu faço o seguinte questionamento: você eleitor ou você eleitora é isso o que você espera para 2017? Independentemente de sua resposta, lembre-se que o prefeito faz parte de um contexto político e partidário. 

 Se os homens soubessem até que ponto seus governantes são egoístas e insensíveis, nenhum Governo duraria um ano” Theodore Parker

Nenhum comentário: