14 de dez de 2018

O sonho ainda não acabou, Zé Eduardo!

Adeir Alves: 

 Chegando ao final de dois anos de administração pública, o Núcleo de Convivência e Fortalecimento de Vínculos localizado entre os Bairros João Vaccaro, Mutirão I e II continua de portas fechadas - as comunidades que, antes eram assistidas nesse espaço governamental, esperam triste a volta do Núcleo, com era antes. 

O Núcleo de portas fechadas implica na responsabilidade ética, história e social de uma comunidade; é tudo uma questão de entender a semântica das atribuições do governo impulsionado pelo desgosto da sintaxe popular.


 E é sobre essa inversão de valores que, entretanto, não estão adequados aos modos operantes entre governo e as ações cognitivas na criação de políticas públicas incorporadas junto ao funcionamento do Núcleo de Convivência! 

 São a discussões profícuas entre os Parlamentares acerca do fechamento do Núcleo de Convivência e Fortalecimento de Vínculos nesses dois últimos anos que vão, contudo, minimizar as situações que afetam o desenvolvimento desta comunidade, sobretudo, são o comportamento dos Legisladores, cujos pilares éticos, morais e sociais, que vão determinar o pulsar da convergência sistemática entre os interesses sociais e o propósito do executivo municipal. 

 O sonho ainda não acabou: Várias oficinas eram ofertadas nas dependências do Núcleo: dança, música, percussão, capoeira, esporte, atividades culturais, ou seja, as crianças, adolescentes e os jovens que, em sua grande maioria, são pobres e negros eram contemplados, diariamente, por estas atividades. 

 Na verdade o Núcleo é um espaço público que fortalece vínculos, oportunizando o desenvolvimento social de crianças e adolescentes, é uma via de mão única entre governo e governados no combate à desigualdade e a vulnerabilidade social, retirando os educandos dos perigos da rua e proporcionando o acolhimento do governo. 

 O Núcleo de Convivência e Fortalecimento de Vínculos ainda encontra-se totalmente abandonado, exposto pela ociosidade e os efeitos nocivos do tempo, é triste! 

 Por tudo isso, é necessário que o Prefeito Zé Eduardo, que está muito mal assessorado, deixe a zona de conforto (gabinete) e visite os Bairros, como ele fez durante a campanha de 2016, conversando com os munícipes nos territórios; quem não se lembra daquela conversa mansa de Zé Eduardo sobre os dizeres: vou comer aquele bolo de fubá na sua casa após ser eleito, então, chegou a hora de repartir o bolo, mas na volta das atividades do Núcleo? 

 “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer” Geraldo Vandré

Nenhum comentário: