3 de jan de 2019

Os três pontos positivos que podem alavancar a baixa popularidade de Zé Eduardo

Adeir Alves: 

A aceitação popular do prefeito Zé Eduardo vem descendo ladeira e, sem um fato político novo movido por investimentos na cidade, sobre a mesma pasmaceira dos dois últimos anos, é evidente que há uma imposição por parte dos munícipes quanto à fragilidade do governo, como nunca antes na história do município.

 O que tem causado essa baixa na aceitação popular referente aos serviços prestados pela gestão do governo de Zé Eduardo tem sido nesses dois anos de administração pública, uma questão difícil de entender sobre o manto de um robusto orçamento de aproximadamente R$ 180 Milhões em 2018. Na verdade a pergunta que transborda nos porões do Paço Municipal “Messias Cândido Faleiros”: como alavancar a popularidade de Zé Eduardo em face à ausência do poder de investimentos na cidade? 


 Oferecer aos contribuintes uma troca justa e solidária, devolver seus tributos (impostos) pagos à custa de muito suor, na forma de políticas públicas voltadas na melhoria da qualidade de vida enfatizado na excelência dos serviços públicos - isso nada mais é do que fazer gestão séria - é ter comprometimento com o município, é amar a cidade acima de tudo e, para isso, é preciso haver as devidas competências abduzidas pelas qualidades técnicas e políticas de um grupo consciente e comprometido com suas atribuições. 

 Nestes dois anos que ainda faltam para o término de seu mandado, Zé Eduardo precisa dar uma resposta contundente à família Guairense sobre o porquê Guaíra perdeu o poder de investimentos, ou ele poderá enterrar seu grupo político, sobretudo, alimentando o sonho da oposição. Para piorar, Zé Eduardo não tem um nome forte para sucedê-lo em uma possível sucessão em 2020! 

Sem um plano político que possa alavancar sua popularidade, o governo se vê enfraquecido e acuado distanciando, cada vez mais, do diálogo com a Câmara Municipal, deixando os parlamentares da bancada da situação de mãos atadas sofrendo com a pressão popular. Para tentar salvar seu governo, Zé Eduardo tem que renunciar o conforto do gabinete e ouvir o descontentamento do Povo, anunciando um novo tempo. 

Quem sabe seja a hora do prefeito criar um Conselho de Bairros liderado pelos seus representantes, os Presidentes de Bairros, e, a cada trimestre, em um encontro profícuo, ouvir as reivindicações de cada território e, juntos, governo e governados buscar soluções e resolver a situação de abandono e a falta de investimentos nas regiões periféricas? 

 Aproveitando a injeção de ânimo, Zé Eduardo reunindo forças para alavancar sua popularidade, em face ao enfraquecimento das necessidades básicas apontadas pelos Presidentes de Bairros sobre o desserviço de cada Secretaria, contudo, haveria uma possível troca de Secretários, sepultando a velha política, empossando sangue novo no comando da máquina pública. 

Ainda há tempo para salvar o governo: Três pontos positivos que podem alavancar a baixa popularidade do prefeito Zé Eduardo, enfrentar sua raivosa coligação enxugando seus cargos comissionados e acabando com as mordomias, ouvir os Presidentes de Bairros e oxigenar a gestão com sangue novo nas devidas pastas.

 “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer” Geraldo Vandré

Nenhum comentário: