14 de mar. de 2019

Por que não temos interesses em assistir e participar das Sessões da Câmara Municipal?

Adeir Alves: 

 Na última sessão ordinária que aconteceu no plenário da Câmara Municipal no último dia 06/03, foram votados e aprovados 8 (oito) Projetos; um número grande para ser votado em uma única sessão, ou seja, é o futuro da cidade que está em discussão. Por se tratar de Projetos de Leis, que poderão mudar o curso do município, na prática, há uma necessidade de haver tempo para as devidas discussões e o aval da população pagadora de impostos, acerca de que impacto estas rápidas decisões acarretarão no desenvolvimento do perfil da sociedade em longo prazo. 

 São as discussões e a consonância entre os representantes e os representados que, contudo, vão direcionar o crescimento da cidade sem prejuízo as novas gerações, por isso, quanto mais à população participar, melhor é para o futuro da cidade.


 É importante que as discussões, os questionamentos referentes aos Projetos do executivo municipal, ao serem votados e aprovados com tanta rapidez, estejam alinhados e norteados aos anseios da família guairense, isso é a democracia representativa enfatizada durante o processo eleitoral. “Imagine vocês se o grande filósofo grego do século IV a, C, Platão tivesse preocupado com a vida e não tivesse renunciado a tudo para dedicar-se às atividades puramente intelectuais e espirituais, nunca teríamos a beleza do diálogo imortal que escreveu, J.B.Libano, Ideologia Cidadania”. 

 Todos os Projetos enviados à Câmara e votados têm sido unanimidade em suas aprovações por parte da bancado do prefeito (a bancado do aprova tudo). A ausência da população durante as Sessões é uma situação que fragiliza e enfraquece o estado de direito, e isso precisa ser analisada por todos, ou a farra das aprovações vai continuar, no entanto a presença da sociedade civil organizada durante as Sessões ressuscita o vínculo de confiança entre o Povo e os Legisladores. 

 Um projeto de extrema importância para o desenvolvimento habitacional, foi votado e aprovado por quase unanimidade pela representatividade do prefeito na Casa de Leis, “Projeto de Interesse Social”, isso é muito sério e a população precisar estar antenada, porque esse processo vai à contra mão na construção de casas populares para os mais pobres, tirando duas áreas de interesse social. “Porque não discutir as implicações políticas ideológicas de tal descaso dos dominantes pela área pobre da cidade, Paulo Freire, Pedagogia da Autonomia”.

 Para evitar os subterfúgios, é notório e importante que durante as Sessões Parlamentares, estejam presentes os Presidentes de Bairros, Presidentes de Partido Políticos, representantes da Ordem dos Advogados (OAB), do Ministério Público (MP) da Polícia Militar, de Entidades Sociais, de ONG no Combate à Corrupção, a Sociedade Civil Organizada em massa opinando e formando células vivas cada vez maiores e presentes nas decisões dos Parlamentares - é a faísca ideológica acendendo no momento em que se percebe o conflito de interesses. É você exercendo a cidadania como membros ativos sujeitos da história, cumprindo com seus deveres e defendendo os próprios direitos, que vão sepultar a empáfia daqueles que querem fazer da política uma rendosa profissão. 

 A presença de todos durante as Sessões na Casa de Leis, participando nas decisões do Legislativo, é um direito nobre de exercer a cidadania livremente enterrando os interesses individuais na estirpe das árvores podres da velha política e, na mão única entre Povo e Legislativo, cultivar a solidariedade e o bem comum. 

“Só a participação cidadã é capaz de mudar o país.” Hebert de Sousa – Betinho 

 “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons” Martin Luther King

Nenhum comentário: