8 de jan. de 2020

Zé Eduardo sabe que apostar no vice-prefeito, é oferecer a ovelha aos lobos

Adeir Alves:

 Governando com baixa popularidade e, sob a égide da imprensa, o prefeito municipal, José Eduardo Coscrato Lélis (PSDB) tem lutado para reverter esse quadro desanimador, que revela, no entanto, como nunca antes na história de Guaíra, um distanciamento entre governo e os mais pobres. 

Aprisionado ao gabinete, o chefe do executivo esbanja discursos moldados por festas, e isso, portanto, tem arrefecido o termômetro político de sua governança – contudo - ações efetivas que preconizem o município a transitar para uma situação proveniente de desenvolvimento - sinalizado pelo alto índice de aproveitamento de políticas de empregabilidade, habitação, eficiência e praticidade nos serviços públicos; ações oriundas de responsabilidade política, ética e moral no comando da Máquina Pública, políticas que não podem serem  procrastinadas! 


 O prestigio de Zé Carlos: Quem têm somado prestigio popular no governo, é o atual Secretário de Obras e líder do DEM, José Carlos Augusto (DEM) que, em silêncio, tem sido de grande aproveitamento na solução dos problemas da cidade e da comunidade; Zé Carlos, como é conhecido, têm sido muito prestativo nesses três últimos anos à população. 

 Zé Carlos é causa do medo dos oportunistas: Com a popularidade em alta, o líder do DEM tem somado forças entre a classe política, sendo este, a causa do medo dos iletrados de redes sociais. Zé Eduardo sabe que, para vencer o juntado do outro lado de lá, o responsável pelo Departamento de obras é, na verdade, a melhor opção no momento - ainda que a pequena aliança do vice-prefeito seja infensa a esta proposta. 

 Zé Carlos é a bola da vez: Ou é Zé Carlos, ou a oposição vence o próximo pleito. Os membros que compõe a “Coligação Confiança em um novo Tempo” entendem que na atual conjuntura política, o líder do DEM, é a bola da vez; apostar no vice-prefeito Renato Cesar Moreira é entregar de “mãos beijadas”, a ovelha (prefeitura) aos lobos (oposição) e, os motivos, são muitos para apostar em Zé Carlos: com 25% do Orçamento Municipal (quase 200 Milhões) o Sistema Educacional Municipal poderia fazer muito mais do que, no último ano, climatizar as salas das escolas, melhorar o trânsito na entrada e saída das escolas com a devida sinalização, a construção de plataforma nos pontos de ônibus nas praças públicas - as Coordenadorias de Esporte e Cultura, que está sob a tutela do vice-prefeito, não avançaram, infelizmente, nos Bairros sob o manto de políticas inovadoras.

 Os ventos sopram na direção de Zé Carlos: Vereador e presidente da Câmara Municipal e prefeito por duas gestões, o ex-prefeito têm conhecimento, experiência e força política junto ao Governo do Estado de São Paulo, já que, o Vice-Governador, Rodrigo Garcia (DEM), faz parte de seu partido político.

 A força de Zé Carlos junto ao Legislativo: A popularidade de Zé Carlos elegeu Caio Cesar Augusto (DEM), seu filho, com uma robusta somatória de votos (1170); enquanto o conservador grupo indômito do responsável pelo setor de Educação Municipal, não conseguiu fazer, sequer um vereador no pleito de 2016. 

 Com Caio na vereança a força de Zé Carlos concomitante à união do Presidente da Câmara Edvaldo Donizete Morais (PSDB), sendo que este foi vice-prefeito de Zé Carlos na chapa Guaíra de Mãos Limpas (2012), não seria impossível somar maioria entre os parlamentares apoiando à nova chapa liderada pelo grupo Carlista.

 Entretendo, a importância do elo entre nossa cidade e o Governo de São Paulo aponta para os próximos anos a tão sonhada transformação da realidade social, atendendo às demandas básicas e as prioridades do município. Na verdade, mais cedo ou mais tarde, Zé Carlos não vai suportar as pressões de seus aliados aos valores cívicos; pelo outro lado, o sucessor de Zé Eduardo terá que entender, por enquanto, que não é o seu momento. 

 “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer” Geraldo Vandré

Nenhum comentário: