10 de ago. de 2020

Eles, os maus Políticos, enganarão você novamente?


Adeir Alves: 

 “Todo poder emanado pelo povo e em seu nome constituído é o princípio fundamental da democracia, Constituição Federal (CF)”!

 “Renunciar o direito ao voto, é renunciar a responsabilidade ética, moral, histórica, política e sociais de sua cidade, na mão única ao epitáfio do confronto à desilusão na atuação pusilânime de maus políticos” 

 Com a efervescência das eleições municipais, que este ano acontece no dia 15 de novembro, o seu voto é muito importante no progresso e na vida de sua cidade. No entanto, as eleições são as ferramentas democráticas e necessárias para o cidadão de bem direcionar as devidas mudanças no quadro político de cada município. 


 Como a gentes da mudança, o nobre leitor tem o direto ( e o dever) de participar da vida ativa política de sua cidade: Assistindo (no site) às Sessões da Câmara Municipal, acompanhando de perto o trabalho de seu vereador e do prefeito.

 Contudo, é você leitor que vai avaliar se o seu vereador trabalhou para o progresso de sua cidade - atuando nas questões sociais da comunidade, fiscalizando e votando projetos de acordo com os anseios do povo e não do grupo do prefeito; também, a consulta pública é riquíssima para fins de conhecimento sobre o histórico de seu possível candidato quanto aos números de processos por condenações na primeira instância; sendo este, um ficha limpa ou suja!

 Quanto ao trabalho do prefeito, é importante ressaltar se houve sua participação (presença) no desenvolvimentos dos bairros e nas repartições públicas, se a base legislativa do governo apoiou e votou empréstimos com a iniciativa privada endividando a prefeitura para as próximas administrações pagar, se o prefeito de sua cidade vem mostrando trabalho apenas no último ano de gestão, pois, no entanto, é o seu senso crítico aguçado que pode encorajá-lo a apertara o gatilho do voto da mudança e, sim, excluir os políticos ruins da vida pública. 

 O perfil da classe política nos próximos quatro anos, depende da sua escolha, das suas decisões que forem tomadas nas urnas este anos, portanto, caro leitor, a munda que você quer ver na sua cidade debruça sobre sua atuação crítica em face ao trabalho do executivo e legislativo nos últimos quatro anos, afinal, voto não tem preço, tem consequência!! 

 Não venda seu voto, pegue o dinheiro deste mau político, o valor que você recebe ao vender o seu voto é pequeno, perto do prejuízo que trará votando neste político que está comprando seu voto, sem contar que voto não tem preço, tem consequências por mínimo 4 anos, que podem ser cruciais para a cidade inteira, por isso não venda seu voto, vote consciente. 

 Na verdade, é o seu direito ao voto que pode emergir uma classe política honestas e compromissada com as prioridades de sua cidade, respeitando à Leio Orgânica, o Plano Diretor e os valores constituintes alicerçados no artigo 37 da Constituição Federal.

 " Quem sabe faz hora, não espera acontecer" Geraldo Vandré

Nenhum comentário: