28 de fev de 2016

Acuada, Globo ameaça blogues progressistas

Da revista Fórum: 

 Acuada com as reportagens investigativas publicadas recentemente por blogues progressistas, a Rede Globo passou a fazer ameaças de processo contra os responsáveis pelas denúncias. O jornalista Miguel do Rosário, do blogue “O Cafezinho”, foi um dos que receberam notificação da família Marinho.

 No comunicado enviado por e-mail, foi exigido que ele retirasse do ar o post intitulado “Bomba! O mapa genealógico da Mossack Fonseca e Rede Globo”, sob pena de sofrer “medidas legais cabíveis”, por supostamente divulgar dados inverídicos a respeito da relação do grupo com empresas investigadas pela Polícia Federal

Debate sobre a democratização da mídia

16 de fev de 2016

As sete marcas de chocolate que usam trabalho escravo infantil

No site da UJS:

 “Os espancamentos eram parte da minha vida.” Esse é o depoimento de uma das crianças libertadas das fazendas de cacau que fornecem matéria-prima para empresas como Mars, Nestlé e Hershey. Estas marcas foram acusadas judicialmente, em 2015, de enganar seus consumidores ao afirmar que “sem querer” financiavam o mercado do trabalho escravo infantil do chocolate na África Ocidental. 

Acabou a Paz: escolas ocupadas

14 de fev de 2016

MARCO CIVIL DA INTERNET: REGULAMENTAR PARA GARANTIR DIREITOS DO USUÁRIO

Por Fabrício Solagna e Renata Mielli, no Centro de Estudos Barão de Itararé: 

 A segunda fase de consulta para o decreto que vai regulamentar o Marco Civil da Internet está aberta para contribuições até o dia 29 de fevereiro. A primeira fase reuniu quase 1.200 contribuições de diversos setores, focando principalmente nas exceções à neutralidade da rede e nas definições sobre como os dados pessoais serão armazenados e poderão ser acessados, de forma a garantir a privacidade dos usuários. 

‘Que horas ela volta?’: sobre como a democracia começa com o fim da escravidão

Por Katarina Peixoto, no blog RS-Urgente:

 O filme de Anna Muylaert não para de ser visto e comentado. É uma peça de realismo sem precedentes sobre a escravidão brasileira, em que o legado e a vigência dessa doença social são-nos apresentados num verdadeiro teatro de objetos, revelando a potência da sutileza, a ironia como sinalização, o cocô do cachorro como referencia. Nesse enredo objetual, caçambas de gelo vazias, no freezer, desvelam a maldade; ratos imaginados, como metáfora, esvaziam a piscina. O prédio de Niemeyer é cenário para o assédio do rentismo, sobre a grande novidade, do pais: uma geração de filhos de escravos hereditários que não se sente nem se vê como escrava. O problema não é quebrar a bandeja de prata da bisavó da Dona Barbara; o problema está no desrespeito à gramática muda, silenciada em dêiticos: “lá”, “cá”, “aqui”, “para fora”. 

10 de fev de 2016

SOCIEDADE CIVIL TEM ATÉ 29/2 PARA LUTAR PELO MARCO CIVIL DA INTERNET

Por Felipe Bianchi, no site do Centro de Estudos Barão de Itararé: 

 Elaborado para garantir democracia e direitos como a liberdade de expressão e a privacidade na Internet, o Marco Civil entrou em nova fase do processo de sua regulamentação. Até o dia 29 de fevereiro, a sociedade civil poderá contribuir com a consulta pública que discute, basicamente, quatro temas da lei: a neutralidade da rede, a segurança de registros, a privacidade e a transparência. A queda de braço em torno da lei segue intensa. 

6 de fev de 2016

Lista de Transparência traz 340 nomes flagrados por trabalho escravo

Por Leonardo Sakamoto, em seu blog: 

 Obtida através da Lei de Acesso à Informação, a terceira edição da “Lista de Transparência sobre Trabalho Escravo Contemporâneo'' traz os dados de empregadores autuados em decorrência de caracterização de trabalho análogo ao de escravo e que tiveram decisão administrativa final entre dezembro de 2013 e dezembro de 2015. 

 As informações foram compiladas pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social a pedido da Repórter Brasil e do Instituto do Pacto Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo (InPACTO) uma vez que uma liminar concedida pelo Supremo Tribunal Federal, em dezembro de 2014, segue em vigor, impedindo que o governo federal divulgue uma atualização do cadastro de empregadores flagrados com mão de obra escrava, a chamada “lista suja'', que esteve público entre 2003 e 2014. 

2 de fev de 2016

Primeira sessão ordinária do ano


Na noite de hoje, 02, ás 20h00, na Câmara Municipal acontecerá a primeira Sessão Ordinária do ano de 2016. Durante a Sessão será discutido vários assuntos pertinente ao desenvolvimento do município. Você cidadão consciente, não pode deixar de comparecer e prestigiar o trabalho de nossos vereadores, entretanto é de suma importância que a sociedade civil organizada analise o que está sendo realizado pelos nobres.

1 de fev de 2016

Conselho Municipal da Juventude de Guaira-SP

Do Conselho Municipal da Juventude de Guaira-SP (Comjuve), nas redes sociais: 

 Criado no ano de 2011, pela lei ordinária municipal n° 2.522 , o Conselho municipal da juventude é um órgão colegiado, de caráter permanente deliberativo e consultivo, que tem por finalidade a representação da população jovem e o assessoramento á Prefeitura Municipal no que se refere a politicas publicas para juventude, assegurando seus direitos individuais.

2500 livros sobre África e Oriente

Atenção professores e estudantes interessados na história e cultura africanas! A biblioteca digital da Universidade de Aveiro já permite ler através da internet obras digitalizadas de Angola, Cabo Verde, Goa, Guiné, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor.


A Universidade de Aveiro (Portugal), através do projeto "Memória de África e do Oriente", tem já online mais de 2500 obras, referentes à história dos países de Língua Portuguesa, durante a administração colonial. O projeto, que existe desde setembro de 1996, é executado pela Universidade de Aveiro e pelo Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento (CESA) de Lisboa e tem contado com a participação de instituições de Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Goa.